Publicidade
Publicidade

Neste último domingo, 1° de outubro, o presidente da República #Michel Temer está se reunindo com ministros de seu #Governo, entre eles, o investigado pela Justiça [VIDEO], os peemedebistas Eliseu Padilha e Moreira Franco e Antônio Imbassahy, do PSDB. O encontro acontece no Palácio do Jaburu e os ministros do PMDB já foram alvo de denúncias da Procuradoria-Geral da República.

Acontece é que uma onda de preocupação ronda Temer e os ministros, o presidente está desde a última sexta-feira, 29 de setembro, em reuniões com advogados, ministros, conselheiros políticos e de comunicação, o objetivo é discutir a segunda denúncia entregue pelo ex-procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.

Publicidade

A nova denúncia coloca Temer em situação complicada perante a Justiça.

A preocupante denúncia de Temer movimenta partidos que compõem a base do governo, ressaltando-se o Centrão, que chega a pressionar o presidente em fazer nomeações para cargos comissionados e também pagamento de emendas parlamentares. Michel Temer precisa "correr" para apresentar sua defesa. Na última semana, o Palácio do Planalto recebeu uma notificação concedendo apenas dez sessões para que Temer e seu ministros investigados apresentem suas versões sobre os crimes dos quais estão sendo acusados, obstrução de Justiça e organização criminosa.

Além da denúncia [VIDEO] e das acusações, o PSDB gera tensão no governo. A nomeação do deputado Bonifácio Andrada para relatar a segunda denúncia contra Temer causou insatisfação na bancada tucana.

Publicidade

Bonifácio é ligado a Aécio Neves e poderia facilitar a vida de Temer durante a votação. Antes da indicação de Bonifácio, o líder do PSDB Ricardo Tripoli, pediu encarecidamente para que não fosse indicado ninguém de seu partido para relatar a denúncia contra Temer. O pedido foi feito para o peemedebista Rodrigo Pacheco, mas como vimos, negado.

Em primeira votação no Plenário, Michel Temer ficou na vantagem com apenas 1 voto, totalizando 22 contra 21. Com isso, o Centrão pressiona para que Temer demita seus ministros envolvidos em #Corrupção.

Bonifácio Andrada

O relator da denúncia contra Temer está no poder desde o Império, seus descendentes ocupam ou ocuparam cargos poderosos envolvendo os três poderes. Na família Andrada há ministros, vereadores, governadores, deputados, procuradores, magistrados e prefeitos. Bonifácio é o deputado mais velho da casa, ele tem 87 anos de idade.