Publicidade
Publicidade

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, é uma grande defensora da causa LGBT dentro do país, pois a mesma julga que ainda existem muitas injustiças e diferenças com os que se declaram #Gays por todas as partes do mundo, claro que em alguns países com uma evolução maior.

Apoiadora da ideologia de gênero e um caçadora das injustiças, a procuradora deseja barrar uma decisão dada pela Anvisa e o Ministério da Saúde.

A regra sobre os gays

A regra determina que os gays estão em um "grupo de risco", pois são mais vulneráveis a ter HIV, por isso que a Anvisa e o Ministério da Saúde desejam proibir os homossexuais de ter o direito de doar sangue para outras pessoas.

Publicidade

Segundo a procuradora, hoje em dia os heterossexuais são tão portadores quanto os homossexuais de doenças sexualmente transmissíveis, por isso que não deve haver esse impedimento de pessoas que desejam ajudar com uma doação [VIDEO].

Ideologia de gênero?

O deputado federal e pré-candidato à presidência da República, Jair Messias Bolsonaro, talvez seja o parlamentar dentro do Congresso Nacional que mais resista contra a ideologia de gênero proposta proposta por alguns partidos, pois o mesmo foi fator fundamental para barrar o "kit gay", projeto que foi apelidado por ele.

Muitos deputados, como Jean Wyllys, são totalmente contra o Jair Bolsonaro e seus ideais, pois os mesmos definem que o fim da homofobia deve acontecer com pacotes de ideologia de gênero implementado dentro das escolas, mas os conservadores definem que isto fere a honra da família.

Publicidade

A briga sobre ideologia de gênero é sempre muito conturbada e com diversas opiniões divididas, e a doação de sangue dos homossexuais deve ser autorizada novamente após a petição da procuradora-geral da República Raquel Dodge.

Os homossexuais e defensores acham esta decisão da Anvisa e Ministério da Saúde um grande absurdo e também um retrocesso muito grande, pois na visão dos defensores da causa LGBT todos estão vulneráveis a se infectar com DSTss (doenças sexualmente transmissíveis).

Bolsonaro não se pronunciou sobre esta decisão da Anvisa, por isso não dá para afirmar se o deputado federal é a favor ou contra esta regra imposta pelo Ministério da Saúde, por isso não se deve envolver o nome do pré-candidato nesta grande polêmica.

Por outro lado, os partidos que são defensores da causa LGBT fazem uma grande mobilização [VIDEO] para que essa regra seja barrada pela procuradora-geral da República. #Proibição #Justiça