Publicidade
Publicidade

Um vídeo da deputada federal Erika Kokay (PT-DF) [VIDEO] está circulando pela internet e tem causado bastante polêmica desde que foi publicado no Facebook, Twitter e YouTube. Em cerca de 1 minuto e 16 segundos, a deputada federal pelo Distrito Federal defende o incesto, a anarquia, a ideologia de gênero e ataca o que chama de família patriarcal [VIDEO].

“Defender a #Família Patriarcal é defender a sociedade de classe. Porque se se destrói a família patriarcal, se destrói a propriedade e se destrói a própria sociedade de classe, remontando a análise de (Friedrich) Engels da história da origem da sociedade, do estado, da propriedade, da família, e aí se destrói, se constrói uma anarquia e essa anarquia vai invadir e enfrentar a ordem e os tabus, por isso será uma sociedade incestuosa”, declarou Erika.

Publicidade

“Aí se constrói uma discussão que a partir da eliminação da família patriarcal, nós construímos uma sociedade incestuosa. Porque, penso eu, porque demorei para entender isso, penso eu que há uma discussão de que como é um dos tabus mais universais, o tabu do #incesto, se eu construo a anarquia e destruo a ordem, eu também vou destruir um dos tabus mais universais da humanidade, que é o tabu do incesto”, prossegue no vídeo que passou a circular pelas redes sociais nos últimos dias.

Incesto

Incesto é a relação sexual entre membros de uma mesma família. Para a deputada federal paga com dinheiro público, seria normal a relação entre familiares em uma sociedade sem a família patriarcal. Por exemplo, filho e mãe, filha e pai, tio e sobrinha, tia e sobrinho, avó e neto, avô e nata, irmão e irmã.

Publicidade

Quem é Erika Kokay?

#Erika Kokay nasceu na cidade de Fortaleza, no Ceará, em 1957. Na década de 1970, se formou em psicologia pela Universidade Federal de Brasília e foi bancária da Caixa Econômica Federal por muitos anos. Entrou para a política em 2003, quando foi eleita deputada estadual.

Antes disso, Erika havia participado do movimento estudantil no tempo de universidade. Entre 1992 e 1998, presidiu o Sindicato dos Bancários de Brasília, e a Centra Única dos Trabalhadores (CUT-DF), entre 2000 e 2002.

Em 2011, assumiu o cargo de deputada federal depois de ter sido a quinta deputada mais votada do Distrito Federal – são oito vagas disponíveis na Câmara para representantes da capital do país.

No ano passado, o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, denunciou Érika Kokay por lavagem de dinheiro e peculato.