Publicidade
Publicidade

Luiz Inácio #Lula da Silva, ex-presidente da República [VIDEO], participou neste domingo (19), de um congresso realizado pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), tendo como principal objetivo tentar alavancar a candidatura de uma de suas principais figuras políticas, Manuela D´Ávila, para a Presidência do país no ano que vem. Durante seu discurso voltado para uma plateia majoritariamente de comunistas e simpatizantes da esquerda no país, Lula criticou o presidente da República Michel Temer e também mencionou a cada vez mas provável candidatura do deputado Jair Messias Bolsonaro, do PSC do Rio de Janeiro, para a disputa presidencial em 2018, visando o Palácio do Planalto.

Publicidade

As críticas do petista também foram dirigidas ao juiz Sérgio Moro, titular em primeira instância, da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná e responsável pela condução dos trabalhos da força-tarefa da Operação Lava Jato [VIDEO], que é considerada a maior operação de combate à corrupção na história contemporânea do Brasil, além de se reconhecida como uma das maiores operações em todo o mundo. Lula foi condenado pelo magistrado paranaense a mais de nove anos e seis meses de prisão, devido ao processo que tratada da real propriedade de um apartamento de luxo tríplex, localizado na praia de Astúrias, na cidade de Guarujá, no litoral do estado de São Paulo e que é atribuído ao ex-mandatário do país, segundo a reunião de provas e evidências, o que resultou na sentença proferida por Moro.

Publicidade

Militante interrompe discurso de Lula

Durante o discurso do ex-presidente Lula a uma plateia repleta de militantes comunistas e representantes do PCdoB, Lula se referiu à atual situação do país, em relação ao presidente Michel Temer. Em um determinado momento da palestra, Lula afirmou que não teria mais idade para ficar criando o "Fora Temer" e também o "não vai ter golpe".

Lula concluiu que as pessoas têm que parar de gritar e evitar que isso venha a acontecer. Porém, um militante que estava presente na plateia, decidiu se manifestar e afirmou que a solução para a situação da esquerda no Brasil, principalmente, devido ao governo do presidente Temer, seria literalmente "pegar em armas". O militante fazia uma referência a movimentos contrários à ditadura no país. O ex-presidente Lula, então, resolveu responder ao militante, de modo irônico, ao comentar que seria melhor "nem falar disso", já que não saberia utilizar armas. Lula criticou ainda Temer ao considerar que tanto o presidente da república, quanto seus aliados, seriam "usurpadores", mas não chegou a comentar a situação do governo antecessor, de sua companheira de partido, Dilma Rousseff.

#Eleições 2018 #Lava Jato