Publicidade
Publicidade

Presidente nacional do PR (Partido da República) e ex-ministro dos Transportes do governo Dilma Rousseff (PT), Antônio Carlos Rodrigues se entregou à Polícia Federal (PF) nesta segunda-feira, dia 28, em Brasília. O ex-ministro era considerado foragido desde a sexta-feira, dia 24. As informações são da Agência Brasil.

O presidente nacional do PR teve sua prisão decretada na quarta-feira da semana passada, dia 22, após deflagração da Operação Chequinho, que também decretou as prisões dos ex-governadores do Rio de Janeiro, o casal Anthony Garotinho [VIDEO] e Rosinha Matheus, ambos também filiados ao PR.

O ex-ministro e os ex-governadores são acusados de corrupção, concussão, participação em organização criminosa e falsidade na prestação das contas eleitorais.

Publicidade

Segundo a acusação, o grupo teria recebido verbas superiores a R$ 3 milhões em contratos de serviços de fachada. A verba teria então sido repassada para cobrir gastos de campanha de Anthony e Rosinha.

Rosinha Matheus está detida na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Central do Rio de Janeiro, onde divide cela com Adriana Ancelmo, ex-primeira dama do Rio e esposa do também ex-governador Sérgio Cabral, também preso no local, assim como os deputados estaduais Jorge Picciani (PMDB-RJ) e Paulo Melo (PMDB-RJ), entre outras figuras da política fluminense. #Anthony Garotinho também estava em uma cela de Benfica, mas foi transferido para o presídio de Gericinó, na Zona Oeste, após alegar ter sido agredido em sua cela.

Além de ex-ministro, Antônio Carlos Rodrigues também assumiu mandato no Senado por São Paulo em 2012, quando assumiu como suplente de Martha Suplicy, quando a então petista deixou o cargo para assumir o Ministério da Cultura.

Publicidade

Ele também atuou como vereador na Câmara Municipal da cidade de São Paulo por quatro mandatos consecutivos, de 2001 a 2013. Antes de ajudar a fundar o PR, integrou as fileiras do PL (Partido Liberal) de 1990 a 2007. #Propina #Lava Jato