Publicidade
Publicidade

Nesta sexta-feira (17), a #Polícia Federal (PF) prendeu o empresário Ronan Maria Pinto por organização criminosa num esquema corrupto nos transportes públicos de Santo André, cidade do ABC Paulista. As atuações irregulares do empresário aconteceram durante a gestão do prefeito assassinado Celso Daniel (PT), em 2002. O prefeito foi morto com vários tiros numa embocada em Itapecerica da Serra.

A polícia deu voz de prisão ao empresário no Hospital Albert Einstein, onde ele iria fazer uma cirurgia de hérnia. A defesa dele disse que recorrerá da prisão.

Também foram alvos da PF, o ex-vereador de Santo André, André Klinger Oliveira Sousa, o empresário Humberto Tarcísio de Castro e o funcionário de uma empresa que recebia propina, Luis Marcondes de Fretas Junior.

Publicidade

Envolvimento de Lula

Diante da prisão de Ronan Maria, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode se dar mal com isso [VIDEO]. Basta o empresário decidir fazer uma delação e contar tudo o que sabe.

Conforme relatos do acordo de colaboração do publicitário Marcos Valério, que não foi ainda aceito pelo Ministério Público Federal (MPF), o prefeito assassinado tinha em mãos um dossiê que comprovava detalhes de petistas envolvidos com o crime organizado. Esse dossiê seria entregue para a PF.

Em 2012, Marcos Valério prestou depoimento e afirmou que um secretário-geral do PT falou para ele que o ex-presidente #Lula estaria sendo chantageado por Ronan. O empresário que foi preso queria R$ 6 milhões de Lula para não dar informações sobre o crime que matou o prefeito Celso Daniel. Segundo o publicitário, estariam envolvidos no assassinato do prefeito, além de Lula, o ex-ministro José Dirceu e o assessor particular Gilberto Carvalho.

Publicidade

Durante uma conversa com a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), Valério teria dito que Ronan Maria iria acusar Lula como o mentor do assassinato do prefeito e ele garantia ter as provas suficientes.

Segundo a deputada, o juiz federal Sérgio Moro recebeu um dossiê do assassinato do prefeito. Moro teria ordenado a prisão do empresário, mas seus advogados tinham recorrido e conseguiram aval da Justiça. Ronan chegou a receber R$ 6 milhões do amigo de Lula, o pecuarista José Carlos Bumlai, através do banco Schahin.

Investigações

A promotoria sustenta que Celso Daniel foi morto por uma trama do seu próprio partido. Ele poderia saber de muita coisa e não ter aceitado participar do esquema fraudulento. O PT nega.

Na época, o envolvimento do ex-ministro José Dirceu no caso, foi ignorado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) [VIDEO]. O ex-ministro Nelson Jobin vetou um pedido da Procuradoria-Geral da República de investigar o petista.

Lula, Dirceu e outros integrantes do PT devem estar corroendo as unhas com a prisão do empresário. #Corrupção