Publicidade
Publicidade

Nesta última semana, uma delação premiada que investiga a #FIFA prejudicou em cheio a #Rede Globo de televisão. A maior emissora do Brasil foi acusada de pagar #Propina para ter privilégios nos jogos da Copa do Mundo de 2014. A Globo teria pago uma quantidade milionária em propina para conseguir ter direito a transmissão dos jogos. A revelação foi feita nos Estados Unidos pelo ex-diretor da empresa de eventos esportivos ''Torneos y Competencias'', Alejandro Burzaco. As investigações partiram do interesse dos americanos que desejam saber se houve casos de corrupção na Fifa e em outras federações de futebol.

O site "Buzz Feed News" divulgou em primeira mão que a Rede Globo teria destinado a propina para grandes executivos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), e da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) que é a responsável por grandes campeonatos como a Copa Libertadores da América e a Copa América.

Publicidade

Além da Rede Globo, outras grandes mídias [VIDEO] mundiais também participaram do esquema corrupto, entre elas estão: Televisa (México), Full Pray (Argentina), Media Pro (Espanha), Traffic (Brasil) e Rede Globo (Brasil). O responsável da Globo que fez a mediação do pagamento de propina foi o diretor do departamento esportivo da emissora, Marcelo Campos Pinto. No entanto, Pinto foi procurado para dar esclarecimentos sobre o fato, mas em 2015 ele abandonou a emissora.

Planalto se 'alegra' com notícia

O envolvimento da maior emissora de televisão brasileira em um caso de corrupção [VIDEO] fez o Palácio do Planalto ver a notícia com "bons olhos". Segundo a revista "Veja", o governo ficou muito interessado pelo caso ilícito e estaria sugerindo "importar o caso", possivelmente abrir uma CPI para apuração.

Publicidade

A situação poderá colocar a Globo em maus lençóis prejudicando em cheio a emissora com péssimas repercussões.

A Globo nega

A emissora nega quaisquer tipos de irregularidades a respeito de pagamentos de propina. Dois ex-presidentes da CBF, Ricardo Teixeira e José Maria Marin também estão sendo investigados juntamente com o atual presidente, Marco Polo Del Nero. O delator responsável por divulgar as informações disse que os três teriam recebido as propinas, os valores chegariam em até US$ 1 milhão, tudo para as emissoras conseguirem os privilégios na divulgação dos jogos. No total, as emissoras Televisa e Globo teriam destinado valores de até US$ 15 milhões para o negócio ilegal. Segundo o delator, o dinheiro estaria na conta de um banco localizado no exterior, Suíça.