Publicidade
Publicidade

#Michel Temer está tentando montar uma estratégia para seu último ano de mandato. O objetivo do peemedebista é criar uma frente de centro-direita composta por PMDB, PSDB [VIDEO], DEM, PR, PRB, PP e PSD capaz de não só aprovar a reforma da Previdência, como também fazer a defesa do governo no próximo ano e lançar um candidato único para disputar o pleito presidencial de 2018.

Segundo informações do jornal Estadão, os nomes preferidos de Michel Temer são: o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), e do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB). Por mais incrível que possa parecer, sendo considerado o presidente mais rejeitado de todo o mundo, Temer ainda não descartou por completa sua candidatura, se colocando como o "último da fila".

Publicidade

Nos melhores sonhos de Temer, essa frente unida conseguiria passar a reforma da Previdência, escantear a candidatura do ex-presidente Lula e manter o plano econômico defendido por esse governo pelos próximos cinco anos.

A estratégia de Michel Temer, caso tudo ocorra bem, é escolher o nome do candidato que iria representar a frente somente a partir de abril. A questão que pega é saber quais partidos e pré-candidatos [VIDEO] se colocariam a disposição para defender um governo tão impopular e ser associado ao nome de alguém com 97% de rejeição. #Dentro da política