Publicidade
Publicidade

Somente três dos 81 senadores que compõem o Senado Federal [VIDEO] tiveram 100% de assiduidade nas sessões deliberativas ordinárias no ano de 2017. José Pimentel (PT-CE), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Reguffe (s/partido-DF) não possuem uma falta em seus currículos esse ano. Curiosamente, é o segundo ano consecutivo que o senador Reguffe passa em branco no quesito faltas. Em 2017, foram 65 sessões possíveis de presença.

Outros senadores tiveram uma grande assiduidade, com apenas uma falta nas 65 sessões deliberativas. Foram os casos de Álvaro Dias (DEM-PR), Davi Alcolumbre (DEM-AP), Flexa Pinheiro (PSDB-PA), Thieres Pinto (PTB-RR), Valdir Raupp (PMDB-RO) e Waldemir Moka (PMDB-RS).

Publicidade

Um caso curioso é o de Aécio Neves. Das 65 sessões deliberativas que um senador poderia participar, Aécio só esteve disponível em 49 delas. Em todas as outras, o tucano estava afastado do cargo por ordem do STF [VIDEO]. Aécio compareceu em 44, contabilizando 5 faltas.

Ex-presidente

Um destaque no ano de 2017 é a diferença de performance do senador Fernando Collor (PTC-AL). Em 2016, o ex-presidente foi o senador com o maior número de faltas, 30. Já esse ano, Collor de Mello faltou em apenas seis sessões. O senador justificou todas suas faltas: quatro por "atividade parlamentar" e outras duas em "missões sem ônus ao Senado". #Senado Federal #Dentro da política