Publicidade
Publicidade

Condenado em primeira instância dentro da Operação Lava-Jato por nove anos e seis meses, em sentença proferida pelo juiz federal Sérgio Moro, o ex-presidente da República Luiz Inácio #Lula da Silva, o Lula, ainda depende da decisão em segunda instância para saber se poderá concorrer ao pleito presidencial de 2018.

No último domingo, o colunista Lauro Jardim, de O Globo, informou que o julgamento de Lula no #TRF-4, "de acordo com pessoas que acompanham de perto o trabalho do tribunal", será entre março e abril.

De acordo com a lei vigente, Lula [VIDEO] fica inelegível se tiver a condenação mantida ou ampliada antes do prazo de inscrições de chapa dentro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que é de 20 de julho a 15 de agosto.

Publicidade

Desta forma, o líder petista fica enquadrado na Lei da Ficha Limpa se tiver a condenação mantida ou ampliada no julgamento do TRF-4. No entanto, haverá a possibilidade de recurso dentro do próprio TRF-4 [VIDEO] e em outros órgãos como o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Lula lidera todas as pesquisas prévias desde o ínicio da realização das mesmas. No último final de semana, pesquisa Datafolha consolidou sua candidatura em primeiro lugar com 34% a 37% das intenções de voto.