Publicidade
Publicidade

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela condução em primeira instância, pela força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato [VIDEO], acolheu uma solicitação formulada pelos investigadores do Ministério Público Federal que fazem parte das investigações dirigidas em relação a processos que envolvem o ex-presidente da República [VIDEO] Luiz Inácio #Lula da Silva. Vale lembrar que o juiz Sérgio Moro é o magistrado titular da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná e comanda a maior operação de combate à #Corrupção na história contemporânea do país já desencadeada, além de ser reconhecida como uma das maiores operações de combate relacionados a crimes de "colarinho branco".

Publicidade

As investigações relacionadas à realização de uma provável perícia, em se tratando de supostas propinas dirigidas pela empreiteira Odebrecht ao ex-presidente Lula, podem se aprofundar em novas evidências, conforme uma documentação entregue pela própria empreiteira, deverão resultar na realização de uma perícia de caráter oficial.

Manifestação de peritos oficiais

De acordo com a determinação do juiz Sérgio Moro, deverá ser realizada perícia oficial. A Associação Nacional dos Peritos Criminais demonstrou que a análise de provas da empreiteira Odebrecht acarreta toda isenção às investigações. Ainda segundo a Associação Nacional dos Peritos Criminais, a concretização de um trabalho pericial oficial, em relação às supostas propinas entregues pela maior construtora do país ao ex-presidente Lula, é algo "essencial para garantir a integralidade da prova".

Publicidade

Em uma nota emitida, a entidade responsável pelo trabalho da perícia criminal federal, apontou que o trabalho pericial a ser realizado, poderá assegurar "a isenção necessária em todo o processo de busca da verdade, como sendo único método que seja capaz de fazer a confirmação ou mesmo, afastar qualquer alegação feita no âmbito do caso em questão, de acordo com as leis vigentes e a Constituição Federal".

No último dia 11, o juiz Sérgio Moro determinou a extensão de perícia oficial em curso, a um material encaminhado pela Suíça, relacionado ao sistema de propinas da empreiteira Odebrecht. Segundo as investigações, os arquivos alvos de perícia, teriam sido extraídos da contabilidade oficial do grupo e deverão ser analisados em uma ação penal em que Lula se tornou réu pela prática de corrupção e lavagem de dinheiro, cujas quantias angariadas de propinas são estimadas em aproximadamente R$ 12,5 milhões.

Defesa de Lula contesta realização de perícia

A defesa de Lula contestou a extensão relacionada à realização da perícia oficial.

Publicidade

O advogado do petista, Cristiano Zanin Martins, considera que "o material seria prova nova" e que não constaria "autorização expressa por parte das autoridades suíças para a utilização do material para instrução", de acordo com o respectivo processo. Ainda de acordo com os defensores, ao ser autorizada a extensão pelo juiz Sérgio Moro, já haveria uma "perícia em prosseguimento, a respeito de documentos que foram extraídos do sistema eletrônico da contabilidade informal do Grupo Odebrecht". #Lava Jato