Publicidade
Publicidade

Nesta terça-feira (05), houve um grande constrangimento num evento da revista IstoÉ que premiava os "Brasileiros do Ano". No palco, por ironia do destino, estava o juiz federal Sérgio Moro junto com vários políticos investigados por envolvimento em corrupção, como o presidente #Michel Temer, o presidente do Senado Eunício Oliveira, o ministro Moreira Franco, Paulo Skaf, que foi citado em delação da Odebrecht e outros.

Moro recebeu a premiação como "Brasileiro do Ano 2017" e foi ovacionado pela plateia, mas muita gente percebeu um desdém de Michel Temer pelo juiz. Tanto o presidente, como Eunício e Moreira Franco nem se levantaram para prestigiar o magistrado [VIDEO].

Publicidade

Eles ignoraram a presença dele.

Com término do evento, Michel Temer foi questionado em relação a sua atitude. Temer disse: "Eu não posso conceder o título de Brasileiro do Ano a ninguém".

O juiz da #Lava Jato também foi alvo de uma pergunta inusitada no fim da cerimônia de premiação. Jornalistas quiseram saber como ele se sentia estando ao lado de Temer e de tantos investigados. Moro sorriu e disse que ficaria devendo essa resposta.

Discurso

Em seu discurso, o juiz cobrou atitude do presidente [VIDEO]e o colocou numa saia justa. Temer ficou sem reação e sem palavras. De acordo com o magistrado, o governo federal tem muito poder e pode explicar para o Supremo Tribunal Federal o quão é importante a prisão dos condenados em segunda instância. Apenas para ressaltar, ministros do STF estão pensando em mudar esse entendimento, o que seria péssimo para as investigações da Lava Jato.

Publicidade

Corruptos acabariam se livrando de prisões preventivas entrando com vários recursos na Justiça. E como tudo é lento no país, eles praticamente ficariam livres da cadeia.

Sérgio Moro também criticou duramente o foro privilegiado e disse que isso é apenas um benefício para pessoas poderosas. Moro não concorda com o foro e pede urgência para que o STF termine logo com isso.

Críticas

No ano passado, ao prestigiar o evento da IstoÉ, Moro acabou sendo flagrado em fotos junto com Aécio Neves e foi muito criticado por isso. Dessa vez, para não causar nenhum tipo de falatório, ele decidiu evitar se aproximar dos políticos e cumprimentou o presidente Temer apenas com um aperto de mãos.

Ao receber o prêmio, Moro o dedicou para o ministro Teori Zavascki, que faleceu neste ano vítima de um acidente aéreo, e para os juízes da Lava Jato, Marcelo Bretas e Vallisney Oliveira. #Sergio Moro