Publicidade
Publicidade

A longa e polêmica novela criada após a nomeação da deputada Cristiane Brasil [VIDEO](PTB-RJ) como ministra do Trabalho ganhou mais um capítulo na noite desta quarta-feira, dia 10. Isso porque o juiz substituto do Tribunal Regional Federal da 2a Região (TRF2), Vladimir Vitovsky, negou os pedidos apresentados pela defesa da parlamentar e pela Advocacia-Geral da União (AGU), que requeriam a suspensão da liminar apresentada por um juiz da 4a Vara Federal, em Niterói, que impediu a posse de Cristiane no Ministério. As informações são da Agência Brasil.

A liminar havia sido concedida na última segunda-feira, dia 8, após ação apresentada pelo Movimento dos Advogados Trabalhistas Independentes.

Publicidade

A arrastada polêmica surgida após a nomeação da deputada ao ministério é mais um golpe no já combalido governo de Michel Temer (PMDB), que volta a figurar nas manchetes com matérias de teor negativo.

A polêmica surgiu após reportagens revelarem que Brasil foi condenada a pagar R$ 60 mil em dois processos trabalhistas movidos por dois de seus ex-motoristas. Também foi revelado que a parlamentar respondeu a outro processo trabalhista de uma ex-empregada doméstica, resolvido após um acordo entre as partes.

#Cristiane Brasil também tem sido lembrada por ser filha de Roberto Jefferson, ex-deputado e uma das principais figuras do chamado escândalo do “mensalão”, que atingiu o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2005. Figura conhecida da política nacional desde o governo Collor – de quem foi um dos principais defensores -, Roberto Jefferson é presidente nacional do PTD, e foi dele a iniciativa de indicar a filha para a chefia do #Ministério do Trabalho.

Publicidade

A embaraçada situação que se desenrolou após a nomeação de Cristiane Brasil como ministra também gerou outras dores de cabeça para o PMDB além das já frequentes notícias negativas. Com o imbróglio, o governo fica entre a cruz e a espada se deve interferir a favor de Brasil ou não. Movimentos jurídicos e políticos a favor da deputada seriam visto como um gesto de boa fé pelo PTB, um dos principais aliados do governo, cuja eventual insatisfação poderia contaminar outros partidos da base. Por outro lado, manobras desta natureza desgastariam ainda mais o governo junto à população, e justamente em ano de eleições, causando um estrago que pode perdurar pelos próximos quatro anos.

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, o governo teria recebido indicações de que a ministra Carmem Lúcia, do Supremo Tribunal Federal – principal instância jurídica do país -, também estaria propensa a manter a suspensão da posse. Outra alternativa analisava pelo governo é a de possivelmente recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Publicidade

As ações têm sido cuidadosamente analisadas pois novas derrotas continuariam mantendo a situação em evidência e “sangrando” ainda mais o governo junto à opinião pública.

O diário paulistano também lembra que o STF está em recesso até 1°de fevereiro, e o contínuo desenrolar do caso pode acarretar em um desgaste ainda maior do governo em relação ao caso. Segundo a matéria, Temer e seus aliados também teriam indicado que a própria deputada Cristiane Brasil entre com mais recursos e pedidos para tentar confirmar a posse, sem a necessidade de interferência direta do governo. No entanto, após a nova derrota desta quarta-feira, o cenário parece cada vez mais desfavorável para a parlamentar e para o governo. Nos últimos dias também pipocaram notícias de que a futura ministra do Trabalho responde a três processos trabalhistas. A informação agravou ainda mais a situação do governo, gerando pressão da oposição e do eleitorado.

No último dia 4 de janeiro, Cristiane Brasil usou sua página oficial no Facebook para se manifestar sobre a nomeação. Na publicação, mostrou-se empolgada e destacou as dificuldades de ser mulher no cenário político nacional.

"Fico muito orgulhosa de ser escolhida como Ministra do Trabalho! É uma honra e um grande desafio que assumo com confiança, determinação e fé. Meu pai com certeza está muito emocionado. Sabemos que uma mulher política, para quem as dificuldades são maiores, é um cargo de grande prestígio! Sinto-me empoderada!", postou Cristiane em seu perfil na rede social. #governo federal