Publicidade
Publicidade

A presidente e ministra do Supremo Tribunal Federal (#STF), Cármen Lúcia [VIDEO], estará de frente com o presidente e desembargador do Tribunal Regional Federal, da 4ª região, Carlos Eduardo Thompson Flores, nesta próxima segunda-feira, 15 de janeiro. O motivo do encontro terá como assunto principal o ex-presidente da República e réu em processos, Luiz Inácio #Lula da Silva.

Conforme se aproxima o julgamento do petista, ânimos estão à flor da pele. Por um lado, movimentos como o MST e a CUT angariam pessoas para ir até Porto Alegre em defesa de Lula. Em outro ponto, forças de segurança estão sendo acionadas para evitar confusões bruscas durante o julgamento.

Publicidade

A assessoria do TRF-4 confirmou que um dos assuntos tratados pelos magistrados será o ex-presidente Lula e as forças de segurança que estarão presentes no dia do julgamento. Lula foi condenado em primeira instância pelo juiz federal Sérgio Moro, a sentença foi de 9 anos e seis meses de cadeia. Agora, os desembargadores do TRF-4 terão que decidir o futuro de Lula. A sentença em segunda instância poderá tirar Lula das eleições presidenciais deste ano e a prisão também é possível de ocorrer.

O STF terá função importante para Lula após sentença dos desembargadores. Caso seja condenado, Lula deverá recorrer para a Suprema Corte comandada por #Cármen Lúcia.

Mudanças drásticas [VIDEO] foram tomadas, tudo para o ''grande dia de Lula''. O TRF-4 informou que no dia 23 o expediente será de apenas meio período e no dia do julgamento de Lula, 24 de janeiro, apenas servidores que têm algum tipo de vínculo com o caso de Lula é que poderão entrar no prédio do tribunal.

Publicidade

As atividades têm previsão de voltarem à normalidade no próximo dia 25 de janeiro.

As mudanças ocorrem após decisão de presidente Thompson Flores e devido ao plano de segurança que foi esquematizado para o dia do julgamento. Instituições como as Forças Armadas, Polícia Federal, Agência da Inteligência Brasileira e órgãos de segurança pública do Rio Grande do Sul estão de prontidão para o julgamento de Lula. Segundo dirigentes do PT, caravanas estão sendo formadas e ficarão em frende à sede do tribunal. Deputados petistas e senadores também devem se manifestar no dia 24.

Cármen Lúcia

No mesmo dia, após conversar com o presidente do TRF-4, Cármen Lúcia também tratará de planos econômicos e terá uma reunião com o presidente do Banco do Brasil, Paulo Rogério Caffarelli e o presidente da Febraban, Murilo Portugal. A reunião foi marcada para as 12 horas e tratará de acordos judiciais em função dos planos econômicos.