Publicidade
Publicidade

Apesar da solicitação do prefeito de Porto Alegre, Nelson #Marchezan Jr (PSDB-RS), por auxílio do Exército e da Força Nacional na segurança das ruas da capital gaúcha, no dia 24, data do julgamento em segunda instância de #Lula, o Governo Federal não se sensibilizou e não irá atender.

O tucano mandou um ofício ao Palácio do Planalto solicitando o apoio para "zelar pela ordem pública da cidade". Ele tem algum tipo de confronto envolvendo os manifestantes favoráveis a Lula, que devem lotar Porto Alegre em apoio ao ex-presidente. Mas o ministro da Defesa, Raul Jungmann [VIDEO], descartou em entrevista ao jornal Zero Hora.

"Quem pode solicitar esse tipo de apoio é o governador, e mais ninguém.

Publicidade

Está errado. Só o presidente da República, a pedido do governador, pode nos acionar. Se por acaso esse pedido de fato chegar até aqui, nós devolveremos", garantiu o ministro.

Já condenado em primeira instância pelo juiz federal Sérgio Moro [VIDEO], responsável pelas investigações da Operação Lava-Jato, Lula pode ficar impedido de concorrer em 2018 caso tenha sua pena mantida ou aumentada. Por enquanto, o ex-presidente tem liderado com muita folga todas as pesquisas prévias feitas por diferentes institutos.