Publicidade
Publicidade

No mês de dezembro, o ex-ministro do governo Lula e Dilma [VIDEO], Antonio #Palocci, foi convocado pela Polícia Federal para dar explicações sobre sua relação com a produção do filme ''#Lula, o filho do Brasil''. Neste momento, as investigações da Operação Lava Jato miram em mais um escândalo do governo petista, a criação do filme que conta a história do ex-presidente. O que a PF deseja saber, é como ocorreu o financiamento para o filme, e com isso contará com a ajuda de dois ''especialistas'' em revelar provas: o empreiteiro #Marcelo Odebrecht e o ex-amigo de Lula, Palocci.

Palocci terá um papel relevante nas investigações, ele teria em mãos informações preciosas de como funcionou o arrecadamento para o filme juntamente com empresas.

Publicidade

O filme estreou em janeiro de 2010 e foi realizado com valores estipulados em R$ 12 milhões. As empreiteiras Odebrecht, Camargo Corrêa e OAS participaram do financiamento do longa.

O filme relatou a vida de Lula, desde sua juventude até a liderança máxima do Partido dos Trabalhadores. Foi apresentada sua história de vida mais íntima e sua trajetória no ABC paulista, liderando sindicatos.

Palocci deixou claro, em depoimento do dia 11 de dezembro, que estará disposto a contar tudo que sabe, mas no momento deveria permanecer em silêncio. No entanto, Marcelo Odebrecht apresentou documentos e e-mails, tudo ligado ao financiamento do filme.

Conta corrente com a Odebrecht

Mensagens da empreiteira foram resgatadas do ano de 2008, os e-mails contam que Palocci, conhecido como Italiano, é quem iria coordenar e apoiar a captação de recursos.

Publicidade

Nomes como os executivos Alexandrino Alencar e Pedro Novis também aparecem nos e-mails, hoje em dia os dois executivos se tornaram delatores.

No entanto, segundo depoimento de Marcelo, o financiamento do filme não partiu do setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, o conhecido setor de propinas criado dentro da empreiteira. Informações apontam que poderia haver uma conta corrente e uma ligação mais ampla entre Lula/PT com o pai de Marcelo, o empresário Emílio Odebrecht.

Marcelo disse que seu pai nunca lhe tinha dito que Lula estaria pedindo apoio financeiro para o filme. Ao que tudo indica, a relação da empreiteira com o filme seria mais ''íntima'', partindo de um relacionamento com uma conta direta.

O ex-presidente Lula foi condenado em 9 anos e seis meses [VIDEO] pelo juiz federal Sergio Moro. No momento, Lula aguarda o julgamento em segunda instância para saber o destino de sua vida pública.