A OAS, construtora responsável e gestora da Arena do #Grêmio, põe em risco o funcionamento da casa do Tricolor. Tendo parcelas atrasadas com os bancos que financiaram a construção da Arena -  Santander, Banrisul e Banco do Brasil, o impasse no acerto de contas preocupa a diretoria do Local.

Com uma dívida em torno de 190 milhões e a Arena como garantia, a possibilidade da execução da atual casa do Grêmio torna-se cogitável para saldar a dívida.

O acerto que está sendo feito entro os bancos vem trazendo bons resultados, ao menos por parte do Santander e do Banrisul, que aceitaram o acordo proposto pela empresa, a OAS, quando acertaram que caso venha a ser bloqueada a conta que faz os trâmites de pagamento, o repasse será feito através de parte da arrecadação do estádio.

Por parte do Banco do Brasil, a cena não fica favorável. O banco pede que os lucros totais da Arena sejam revertidos para a quitação do débito, parcelas de R$ 2,4 milhões, impossibilitando a atual gestão responsável de manter serviços básicos como bilheteria e segurança, ocasionando na perda da Arena do Grêmio.

A perspectiva de conseguir um acordo que possa agradar as partes, e garantir o funcionamento da Arena, parece alcançável. A OAS diz manter-se confiante quanto a isso. Em comunicado oficial, a construtora reforça que o empenho por ambas as partes é para resolver da melhor maneira, de forma que o local continue a funcionar, e o Grêmio não seja afetado pela perda do estádio. O Clube também se mantém confiante nesse aspecto, em entrevista a Zero Hora, o presidente Romildo Bolzan Jr. Disse não ter esperanças de que os bancos venham a executar a garantia.

Lembrando que a construtora passa por uma fase de crise, a partir da delação de envolvimento na operação Lava Jato, a OAS tem deixado dívidas abertas no mercado.

No caso da Arena do Grêmio, sente-se o prejuízo causado pela construtora, que deixa ir a decisão judicial o futuro do estádio Tricolor. Não chegando ao acordo, a dívida poderá levar o Grêmio a procurar uma nova casa para seu time. Não tendo o Clube condições de bancar a dívida e manter o estádio.  #Futebol