Segundo balanço da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, foram confirmados na última semana mais 207 novos casos de #Dengue no Estado. Somando-se os últimos registros, já são 891 infectados no ano. 

Os principais focos são as regiões Norte e das Missões, onde ocorreram infecções localizadas. Caibaté é o município que mais registrou casos. São 249 confirmações, na cidade de pouco menos de 5 mil habitantes.

Duas mortes já foram confirmadas. Em Santo Ângelo, uma mulher faleceu em decorrência da enfermidade em março. Em abril foi a vez de Panambi registrar o óbito de outra mulher. Estes foram os primeiros casos de morte em decorrência de dengue no Estado na história.

Publicidade
Publicidade

O perfil dos pacientes está sendo traçado para aumentar a efetividade de ações que combatam a doença. Segundo a SES/RS, a maioria dos casos foram observados em mulheres (54,7%) entre 20 e 59 anos de idade (64,3%).

A partir desta terça-feira (12), a Prefeitura de Porto Alegre aumentará o número de armadilhas contra o mosquito, além de intensificar as aplicações de inseticida. Na Capital, a região mais afetada é a do bairro Ipanema. Na localidade, foram registrados sete casos, sendo seis autóctones (quando há infecção na localidade onde houve o registro) e um importado.

Para evitar novos contágios, a SES/RS em parceria com os municípios está divulgando uma série de medidas simples a serem tomadas pelas comunidades para evitarem a proliferação do mosquito transmissor. Na lista, estão incluídas atitudes como cobrir caixas d'água e recipientes que possam reter água parada, encher pratos de plantas com terra ou areia, manter as piscinas tratadas, guardar garrafas vazias viradas para baixo e pneus velhos em abrigos, evitar o acumulo de água em ralos, marquises, toldos e canos e manter as lixeiras fechadas.  #Medicina

Os sintomas principais da dengue são febre alta repentina, dor de cabeça, muscular, nas articulações e atrás dos olhos, acompanhada de coceira e vermelhidão na pele. Em casos mais graves, podem ocorrer hemorragias. São contra indicados antitérmicos e anti-inflamatórios no tratamento.