Na noite desta quinta-feira (27), um casal de idosos, com mais de 90 anos, foi agredido em seu sítio, que fica em Morungava, zona rural da cidade de Gravataí, no Rio Grande do Sul. Segundo informações da polícia local, o casal foi abordado em casa na noite por um homem e mais três adolescentes, que foram roubá-los.

Os bandidos agrediram o casal com facas e tentaram enforcar a mulher com uma corda de nylon. No momento do ocorrido, circulava pelo local uma viatura da polícia, que percebeu o movimento estranho na casa e foi verificar o que acontecia. Foram abordadas quatro pessoas. A polícia prendeu em flagrante o assaltante, de 40 anos, e seus dois filhos, de 12 e 14 anos, além de mais um adolescente, de 17 anos. 

A polícia também informou que o casal de Idosos ficou muito machucado, sobretudo, nos braços e nos rostos.

Publicidade
Publicidade

Eles foram socorridos no hospital Dom João Becker e passam bem. Segundo apurações da TV RBS, os moradores da região estão preocupados e revoltados com o crime.

De acordo com o morador Clairton Rocha, a #Violência está grande em Gravataí. "Quando anoitece, ninguém mais sai de casa. A região registra de 10 a 15 assaltos por dia. O cidadão de bem agora tem que se trancar dentro de casa e se cuidar para sair né? Porque antigamente não! O ladrão tinha que cuidar para não ser preso. Agora nós temos que nos cuidar para não sermos roubados", reclama o morador.

A moradora Jaqueline Trindade afirmou que é difícil encontrar alguém na cidade que ainda não tenha sido assaltado. "O bandido sabe que não tem polícia na rua hoje", afirma a mulher. O também morador e comerciante, Robinson Batista, diz: "Nós estamos reféns dos bandidos.

Publicidade

Essa é a realidade. Hoje nós somos reféns".

Com medo dos assaltos e da violência, moradores agendaram uma reunião com a Brigada Militar para ter uma solução para o problema. Segundo informou  o Capitão da Brigada Militar, Humberto Goulart: "Nós estamos montando um programa, um cronograma para utilizar ações de patrulhas especiais nos locais de maior incidência de criminalidade", garante. #Família #Crime