Na manhã dese sábado (12) um grupo de 3 homens colocou fogo no local onde dormia um imigrante vindo do Senegal. O fogo atingiu o colchão do Senegalês e foi alastrando pelas pernas, ele acordou com o calor e viu 3 homens correndo para longe dali. Cheikh Oumar Foutyou Diba sobrevive vendendo bijuterias no centro de Santa Maria, Rio Grande do Sul. Cheikh tem 25 anos e está legalizado no brasil.

De acordo com a policia federal onde o boletim de ocorrências foi registrado, a vítima dormia próximo da estação central de trens da cidade de Santa Maria. O Senegalês conseguiu pedir ajuda em um  estabelecimento comercial próximo ao local dos fatos.

Publicidade
Publicidade

O pessoal do estabelecimento onde Cheikh pediu socorro, chamou o serviço de atendimento móvel de urgência (SAMU)  por  volta das 9:00 hs, prestando os primeiros atendimentos e encaminhou para a unidade de pronto atendimento UPA, no bairro Perpétuo Socorro, zona central da cidade.

Segundo informações de funcionários da UPA  o Senegalês foi levado para a área de queimados, ele sofreu queimaduras superficiais nas pernas, seu estado de saúde é bom e não corre o risco de morte. A vítima  estava em  observação mas, já teve alta nesta manhã.

De acordo com a policia militar, o imigrante disse em depoimento que acordou com o corpo pegando fogo, mas viu quando 3 homens saíram correndo do local,levando o seu dinheiro R$ 500, um par de tênis e todas a bijuterias que ele vende no centro da cidade. Disse também que só dormiu ali por não ter chegado no albergue a tempo, pois horário de entrada é até as 20:00 hs.

Publicidade

Segundo a brigada,ele tem passaporte e documentos, o depoimento foi muito difícil entendíamos pouco o que ele falava, só não teve como colher mais detalhes do #Crime por que ele fala o português muito pouco e confuso, muita coisa que ele disse não deu para entender. A policia está a procura dos criminosos, também conta com a ajuda da população para fazer denuncia anônima caso saiba onde encontrar os 3 meliantes. As investigações seguem e a população aguarda uma resposta da polícia.  #Ataque #Investigação Criminal