Nesta quinta-feira (19), Porto Alegre tornou-se a quinta cidade brasileira com operação do sistema de transporte Uber. O que algumas pessoas veem como uma opção a mais para se locomover pela cidade e uma forma de impulsionar as melhorias no transporte público local, outros, principalmente os taxistas, se mostram extremamente descontentes com a atuação do Uber na cidade.

Uber em meio à polêmica

Como maiores prejudicados, os taxistas gaúchos, como já fizeram os de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília, cidade onde o Uber já está presente, alegam uma concorrência desleal por parte deste novo sistema de transporte.

Publicidade
Publicidade

Para exercer a função, os taxistas devem pagar uma série de taxas para atuarem de forma legal, o que não acontece com o serviço prestado pelo Uber.

Segundo o diretor da Uber Brasil, Guilherme Telles, o serviço não é ilegal, já que este modelo de transporte é previsto no Plano Nacional de Mobilidade Urbana. Com relação à regulamentação para operar na capital gaúcha, Guilherme diz que a empresa vai trabalhar junto ao poder público para regulamentar o serviço.

Prefeitura alerta sobre o Uber

Para a prefeitura de Porto Alegre, neste momento os serviços prestados pelo Uber não estão regulamentados, sendo considerado irregular qualquer atividade na cidade. Em caso de flagrante de carros do Uber operando na cidade, o motorista deve ser punido, com riscos de apreensão do veículo, multa por transporte irregular e cobrança de multas para reaver o carro.

Publicidade

População se mostra positiva ao serviço

Para o público gaúcho que se vê todos os dias na dependência de serviços de transporte, o Uber abre mais opções e é visto como positivo, já que a concorrência pode auxiliar numa melhora do setor de forma geral.

Para algumas pessoas, a concorrência gerada por este novo serviço pode levar os taxistas a melhorarem suas formas de #Trabalho, investindo em maneiras mais eficientes de atender aos seus clientes. Com relação ao transporte público, também é esperado mudanças positivas em virtude de uma nova visão dos órgãos competentes. #Opinião #Dicas