Com início marcado com uma grande expressividade, um total de mais de dez mil pessoas em uma espetacular marcha percorrendo o centro da cidade de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, foi o primeiro ato do Fórum Social Mundial, evento que reuni uma gama de organizações de esquerda e inúmeros movimentos sociais. A estimativa de dez mil pessoas é com base nos números da Brigada Militar gaúcha, instituição que tem equivalência a Polícia Militar nos demais estados brasileiros. A abertura aconteceu nesta terça-feira, 19 de janeiro de 2016.

Temas da atual conjectura política nacional foram abordados constantemente durante toda a #Manifestação de abertura, entre os assuntos mais abordados estão a cassação do mandato do deputado do Partido do Movimento Democrático Brasileiro, Eduardo Cunha, atual presidente do Parlamento do Brasil, o qual vem sofrendo uma série de acusações, também fez parte das manifestações duras críticas ao processo de impedimento da presidente do Brasil Dilma Rousseff.

Publicidade
Publicidade

O evento contou com ativistas de diversos seguimentos e ideologias, que vão desde os sem-teto, ativistas indígenas, alguns participantes do movimento negro do Brasil, feministas, onde todos juntos participaram de forma efetiva de uma passeata memorável. O ato de abertura do Fórum Social Mundial teve em sua frente alguns carros de som puxando os demais, eles foram comandados pela Confederação dos Trabalhadores do Brasil e também pela CUT.

Durante alguns dos discursos, foi possível ver diversas ações de manifestantes declarando total apoio a presidente Dilma Rousseff, mas também os mesmos que apoiaram a presidente em relação ao impeachment efetuaram diversas críticas em relação ao ajuste fiscal e grandes cortes o qual o governo federal vem efetuando constantemente. Teve até barraquinha com venda de alguns materiais contra o processo de impeachment e camisetas estampando “Fora Cunha”, esta última sendo vendida por quinze reais.

Publicidade

Miguel Rossetto esteve presente na passeata de abertura do Fórum Social Mundial, ele é o atual ministro do Trabalho, além de diversas personalidades no meio político gaúcho.

Rossetto discursou ao chegar no evento defendendo que os movimentos sociais mantenham diálogo com o governo federal.

Vale ressaltar que o evento é patrocinado pela Petrobras, a estatal doou 800 mil reais para o evento.