Sete veículos cujos motoristas prestavam serviços para o aplicativo de transporte Uber foram recolhidos e multados em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. A Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC) realizou oito fiscalizações de trânsito nessa quinta-feira (14 de janeiro). Conforme a empresa que é responsável pelo trânsito da cidade gaúcha, o objetivo das ações era abordar condutores e fiscalizar o cumprimento das leis de trânsito.

Os sete motoristas tiveram os seus carros de trabalho recolhidos e levados para um depósito municipal. A multa para cada um é de mais de R$ 5 mil. Segundo levantamentos de jornais e rádios locais, desde novembro de 2015, quando a Uber iniciou a operação em Porto Alegre, 21 automóveis de transporte privado já foram apreendidos.

Publicidade
Publicidade

A EPTC também recolheu, neste período, carros que atuavam como táxi clandestino entre cidades da Região Metropolitana. 

Para a EPTC, o serviço oferecido pela Uber consiste em transporte irregular e clandestino, sem permissões oficiais ou legalização. A Prefeitura Municipal de Porto Alegre montou um grupo de trabalho que até o final de janeiro deve apresentar as propostas para qualificar o serviço de táxis da cidade e definir se a Uber será legalizada ou não.Entre as ideias que podem ser anexadas a Lei Geral de Táxis da Cidade são a necessidade de ar condicionado em todas as corridas e a opção do cliente em escolher a rádio a ser tocada.

Independente das questões legais, a empresa opera normalmente em diversas capitais do Brasil. Por onde a Uber entra no mercado, há polêmica. Casos de violência entre taxistas contrários ao aplicativo já envolveram motoristas da Uber em diversas capitais do Brasil, como Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Publicidade

Em Porto Alegre, um motorista chegou a ser agredido em novembro,

Vale lembrar que o condutor que reincidir no crime de realizar transporte coletivo pode ter o valor da infração dobrado, para uma quantia superior a R$ 10 mil. Na capital gaúcho, o primeiro recolhimento de um carro da Uber aconteceu em novembro de 2015, dias após o serviço começar a operar na cidade.

Os veículos apreendidos nas ações dessa quinta-feira são diversos, como Citroen C4 Pallas, Chevrolet Ônix, Toyota Etios e  Fiat Siena. As abordagens em fiscalizações de trânsito também flagraram carros abandonados, motoristas sem documentação adequada e circulação em faixa exclusiva para ônibus em horário inadequado.

Desde a segunda-feira (11), a Uber conta com o serviço de tarifa dinâmica em Porto Alegre, que faz com que nos horários de pico e menor quantidade de veículos, o valor mínimo cobrado seja multiplicado por um algorítimo determinado pela empresa de transporte privado, que movimenta bilhões de dólares anualmente. #Negócios