Novamente se deu um caso de turista argentino esquecido por seus familiares. Desta vez foi uma garota de 19 anos, segundo informou o patrulheiro Ronaldo Pereira de Moraes, do posto da Polícia Rodoviária Federal de Eldorado do Sul. O posto foi notificado do caso por Rosenildo Lima dos Santos, gerente do posto de gasolina onde os pais de Federica a deixaram por volta das 14h30min desta quarta-feira (3).

Sem saber falar nosso idioma (língua portuguesa), Federica conseguiu comunicar com o pessoal que a acolheu, lhe oferecendo uma fatia de bolo e água para tranquilizá-la, mesmo ela aparentando não estar necessitando mais do que localizar seus pais.

Publicidade
Publicidade

Ela disse aos seus anfitriões ocasionais que sua #Família voltava das férias no litoral Catarinense e rumavam até a Santana do Livramento, na fronteira com Rivera no Uruguai, e a partir daí chegarem em Buenos Aires.

Algo saiu errado nestes planos. O Toyota Corola de cor prata ganhava velocidade suavemente pela rodovia BR290 em direção ao por do sol, que aconteceria dali umas cinco horas - e, ao avistarem o posto de gasolina Shell no lado direito, o motorista deu uma olhada no marcador de gasolina e concluiu que deveria completar o tanque. Logo tratou de desacelerar o carro e se preparar para encostar o seu Toyota na bomba que tivesse gasolina compatível.

Esqueceram de mim 2

A história pode parecer um clichê, mas tanto no desfecho quanto na origem é semelhante ao caso da Inês, a argentina que foi esquecida em um posto de gasolina próximo a Passo Fundo.

Publicidade

Em ambos os casos, o esquecimento se deu por descuido dos demais que não conferiram se todos estavam no carro.

Conforme Federica, seus pais foram à loja de conveniência do posto e ela aproveitou para dar uma esticada nas pernas – jogar um papel na lixeira e ir ao banheiro. Ao retornar veio a surpresa. Estava só. Não foi possível obter à distância e por telefone maiores detalhes com Rosenildo. Segundo ele, Federica ficou meia hora sozinha até pedir ajuda. Seus pais foram localizados 60 quilômetros a frente, pela Polícia Rodoviária de Pantano Grande, que os escoltou até ao posto para depois seguir viagem. #Comunicação #Comportamento