A proibição da presença dos saleiros em mesas de bares e restaurantes não é uma exclusividade de Porto Alegre. Na última segunda-feira (15), a Câmara dos Vereadores da cidade votou de maneira favorável ao projeto de lei que determina a proibição do sal nesses estabelecimentos. Os clientes só terão acesso ao condimento a partir de agora se deliberadamente solicitarem aos garçons do locais frequentados.

O Uruguai já havia adotado uma medida semelhante no ano de 2014, quando ainda era presidido pelo popularíssimo Pep Mujica. Em fevereiro daquele ano, os uruguaios já sabiam que a partir de março não teriam mais o sal à disposição nos bares e nos restaurantes.

Publicidade
Publicidade

Além do sal, a maionese também foi incluída entre os itens descartados pelo governo.

O grande objetivo do governo uruguaio, naquela altura, era reduzir sensivelmente o consumo de sódio entre a sua população, e com isso diminuir as doenças em decorrência da ingestão em demasia desse componente. Segundo dados cedidos na época, cerca de 30% da população uruguaia sofria com hipertensão arterial, uma doença motivada, entre outros fatores, pelo consumo excessivo de sal.

Em Porto Alegre, o objetivo da medida vai nessa mesma linha: prezar pela saúde pública. Sofia Cavedon, vereadora do PT autora do projeto de lei, explicou que a ação visa zelar pela saúde da comunidade porto-alegrense. Ela ainda fez um apelo para que as pessoas não subestimem a importância do tema. #Comportamento #Alimentação Saudável