No Rio Grande do Sul, um jovem de 22 anos, condenado por ter estuprado uma adolescente de 15 anos, foi libertado depois de ter conseguido provar a sua inocência. Diogo Lucas esteve preso durante um ano, mas conseguiu que o seu inquérito fosse revisado após vários pedidos feitos por sua família.

O caso de estupro aconteceu em outubro de 2014. Uma adolescente de 15 anos foi estuprada e acabou por reconhecer o jovem através de uma foto nas redes sociais. A vítima do #Crime afirmou à polícia que reconheceu Diogo Lucas devido à tatuagem que ele tem no rosto. Alguns meses depois, em janeiro de 2015, o jovem acabou por ser condenado à prisão.

Publicidade
Publicidade

A família de Diogo Lucas não se conformou e não calou a sua revolta. Organizou manifestações em frente ao Fórum de Rio Grande e, quase todos os dias, foram até à delegacia para tentar provar a inocência do jovem.

Eni da Conceição Lucas, a mãe de Diogo, foi a menos conformada com a condenação do seu filho. Ela insistiu e depois de ter visitado várias vezes a delegacia de Rio Grande, conseguiu que os investigadores a escutassem. Em novembro de 2015, Eni conseguiu a sua maior vitória em todo o processo. Ela conseguiu que a delegada fizesse a revisão do caso.

Na revisão do processo, a delegada chamou a vítima e depois de identificar várias contradições no inquérito, a jovem estuprada em 2014, acabou por confessar que tinha mentido no seu depoimento.

Agora que Diogo foi libertado da prisão, ele diz fazer planos para o futuro.

Publicidade

O jovem de 22 anos pretende voltar a estudar e a trabalhar e espera agora viver mais perto da sua família. A mãe Eni, ficou muito feliz. No dia da libertação não conseguiu conter a sua emoção por poder olhar para o filho e dizer que ele não estuprou nem violentou ninguém.

Diogo Lucas ficou muito agradecido à delegada de Rio Grande do Sul entregando flores à delegada da Delegacia da Mulher em seu primeiro dia de liberdade.

O que você acha sobre esse erro da #Justiça? Acha que acontece muitas vezes no Brasil? E a culpa foi de quem? Da vítima ou de quem fez a investigação? Conta para a gente a sua opinião nos comentários! #Investigação Criminal