O soldado Martins, primeiro soldado da Brigada Militar (nome da Polícia Militar do Rio Grande do Sul) a ter autorização para se casar de farda militar com outro homem, está sendo vítima de homofobia por parte de sua própria família. O soldado usou as redes sociais de seu noivo, o modelo Diego Souza, para denunciar a situação. Os ataques partem principalmente da mãe de Martins, a Zaida Martins. A matriarca, por sua vez, acusa o filho de violência doméstica, conforme antecipou o Web News Viral / Blasting News nesta semana

Soldado Martins, cujo nome real é Miguel Martins, diz que a mãe já fez várias denúncias falsas por agressão na polícia, solicitando uma medida protetiva que o impedisse de se aproximar dela.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o militar, as medidas foram recusadas pelos delegados responsáveis por atender Zaida. "Não tinha nenhuma agressão, nada, então a polícia civil não aceitou o pedido", conta. "Ao invés de chamar o 190 para levar todas as partes para a delegacia na hora da suposta agressão, ela age de forma obscura, vai na delegacia se fazer de boa mãe, sendo que ela é homofóbica. Nos chama de viad*, bicha e aidético", afirma.

No último episódio de agressão, Martins e seu noivo decidiram prestar uma queixa na delegacia contra a matriarca da família. No boletim de ocorrência, o casal relata que Zaida Martins invadiu a casa deles (mãe e filho moram em casas separadas, mas no mesmo terreno) e agrediu não apenas eles, mas também seus convidados que participavam de um jantar, chamando Diego de gigolô e vagabundo.

Publicidade

 Uma das convidadas do jantar do casal, que é madrinha do soldado, chegou a ser agredida fisicamente e também deu queixa na polícia. O boletim de ocorrência feito pelas vítimas registra ainda que Zaida, alcoolizada, agarrou Diego pelo pescoço e o ameaçou, dizendo que iria mandar alguém "pegá-lo na rua". Como se não bastasse a confusão dentro de casa, após as agressões Zaida Martins foi até o quartel da Brigada Militar onde o soldado Martins trabalha e o acusou de ter lhe agredido.

Em seguida, já de volta pra casa, enquanto o casal homoafetivo dormia, o irmão de Martins cortou o fornecimento de energia elétrica de sua casa, provocando nova confusão e nova ida à delegacia na cidade de Uruguaiana. De acordo com o casal, o objetivo de Zaida Martins é expulsá-los de casa, já que ela não aceita a homossexualidade de seu filho e o casamento com outro homem. O caso agora será discutido em juízo, já que o soldado Martins entrará com ações cíveis e criminais contra sua mãe. 

Assista ao desabafo gravado pelos noivos:

#Homofobia