A #Violência no Brasil é o reflexo da organização social, através de suas desigualdades. Em um país onde a morte e a violência diária já foi naturalizada, deparar-se com uma cena de crime é situação rotineira para quem vive nas grandes cidades. A maioria dos cidadãos declara que o modelo atual de segurança deve ser reformulado. E não é só a população que não aguenta mais ver sangue escorrendo nos asfaltos, até a ONU já emitiu notas sobre as políticas de segurança brasileiras.

Arrastão aconteceu em frente a escola Dom Bosco em Porto Alegre - RS

Na tarde desta quinta-feira, aconteceu um crime que chocou toda a cidade de Porto Alegre pela sua crueldade.

Publicidade
Publicidade

Era de tarde, por volta de 17 horas, quando a mãe esperava o filho sair da escola, na zona norte de Porto Alegre. Cristine estava aguardando a saída de seu filho em frente ao colégio Dom Bosco, acompanhada de sua filha dentro do carro, quando três suspeitos roubavam pertences de pessoas próximo à escola em um arrastão.

Segundo testemunhas, quando os ladrões aproximaram-se do carro de Cristine Fonseca Fagundes, a motorista assustou-se e acelerou o veículo. Ela foi executada em frente à filha que estava dentro do carro. Os ladrões fugiram em um veículo vermelho, em direção à zona norte de Porto Alegre. O crime chocou toda a cidade pela brutalidade dos assaltantes na tentativa de roubar o carro de Cristine. 

Violência cresce na região metropolitana de Porto Alegre: três mulheres são executadas em Alvorada

O aumento da violência no estado é preocupante, só no primeiro semestre de 2016 o crime de latrocínio cresceu 34% em relação ao ano passado.

Publicidade

Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do estado do Rio Grande do Sul que registrou 86 homicídios no primeiro semestre de 2016. 

A violência em Porto Alegre está preocupante e o caso de Cristine Fonseca Fagundes não é um fato isolado. Pouco antes do arrastão em frente ao colégio Do Bosco, nesta semana a polícia militar encontrou três mulheres mortas na região metropolitana de Porto Alegre, em Alvorada. Até o momento, elas não foram identificadas, mas as autoridades já alertaram que não são região.  #Tragédia #PortoAlegre