Nesta semana, Porto Alegre ganhou o primeiro #Hospital veterinário público, para cuidar dos #Animais de pessoas que não têm condição de pagar uma clínica particular. Algumas cidades brasileiras, inclusive, já têm se esforçado nos últimos anos para abrirem hospitais desta especialidade para atender a população de baixa renda. A cidade mais recente, que passa a oferecer o cuidado veterinário mais acessível, é Porto Alegre, a capital do estado do Rio Grande do Sul.

Na quarta-feira (19), a construção do primeiro hospital veterinário público da cidade terminou, depois de seis meses de trabalho, o que foi possível graças a milhões em financiamento de um homem de negócios, o empresário gaúcho Alexandre Grendene.

Publicidade
Publicidade

O conselho da cidade será responsável pela instalação e pelos equipamentos, seguindo um cronograma que estima que as suas portas se abrirão no início de 2017.

A administração da cidade irá agora decidir se vai estabelecer uma parceria com uma instituição de ensino ou se vai contratar profissionais. Independentemente disso, a instalação de medidor de 1.600 metros quadrados vai acolher cinco áreas de operações, salas para consultas, quimioterapia e laboratórios.

Estima-se que o hospital deva atender a cerca de 270 animais por dia. A realidade, no entanto, deve ver este número crescer consideravelmente. Em 2013, São Paulo abriu o primeiro hospital veterinário público, composto de duas unidades em diferentes partes da cidade. Os veterinários paulistas estipularam que eles devessem atender não mais do que 45 animais por dia, porém, este número hoje é dez vezes maior.

Publicidade

Os veterinários de São Paulo estão cientes de que quase todos os que buscam os serviços do hospital público local não têm dinheiro para operações privadas e, portanto, estes profissionais acabam por cuidar de cada animal que entra no hospital. "As pessoas estão conscientes de que haverá grandes dificuldades, mas ninguém reclama porque eles entendem que estamos fazendo o melhor que podemos para atender todo mundo", explicou Lucas de Araújo Freitas, diretor do hospital paulista, a imprensa local. #Empresário