Dani d'Emilia é uma artista brasileira que resolveu inovar no setor da arte moderna, tendo apresentado, em Porto Alegre, uma performance intitulada de U TE(A)R US (o título refere-se a um jogo de palavras com o termo "útero", utilizando a expressão em inglês para "você nos rasga"). Assim, o evento teve, como principal finalidade, fazer uma exibição em que a artista interage ao vivo com o próprio útero.

Publicidade

Destaca-se que Dani foi diagnosticada com um mioma. Ante o exposto, a artista teria que fazer uma cirurgia que removesse o tumor, todavia optou por remover o útero, que foi retirado no dia 19 de janeiro. Nesse sentido, a jovem decidiu guardar o órgão dentro de um recipiente de vidro com formol, com o objetivo de realizar performances artísticas. Passados dois meses da cirurgia fez uma apresentação em que exibia o útero.

Consta que a ação durou cerca de 34 horas, numeração correspondente à idade de Dani. Ela afirma que cada 34 horas marcariam uma hora para cada ano em que ela conviveu com o útero que decidiu remover. Com isso, objetivava externalizar a relação que existia entre ela e o órgão removido, também queria criar uma interação que existiria fora do corpo dela.

Enquanto realizava o ato simbólico, ela trajava roupas brancas, além de ter bebido somente água e comido apenas ovos cozidos no momento em que realizava exercícios para poder sentir o peso do órgão, que, devido à doença, ganhou aspecto de inchado, sem contar que passou a pesar quase um quilo. Com o gesto também almejava, abrir debate com relação aos pesos simbólicos que reincidem no útero.

A expansão do órgão dela simbolizaria o peso que é carregado pelo útero, pois, de acordo com a artista, o útero tem representação histórica, na medida em que existe uma disputa por poderes patriarcais, que buscam afirmações por meio da fecundação, o que acarreta pressões e peso sobre #mulheres como ela afirmou.

Segundo Dani, mulheres internalizam pressões no que pertine à maternidade, levando em consideração a necessidade de sistemas econômicos em estimularem a #reprodução humana. Diante disse, ela alegou que decidir não ter filhos é uma escolha que considera muito forte, haja vista que atesta que existe pressão social para mulheres gerarem crianças.

Dani finaliza dizendo que não é contra a maternidade, entretanto, unicamente tutela pela soberania das pessoas em decidirem o que desejam fazer com o próprio corpo. #mioma