Publicidade
Publicidade

Um crime bárbaro, e que parece estar virando moda no Rio Grande do Sul [VIDEO], aconteceu na noite desta quinta-feira, 7 de setembro (dia da Independência), na cidade de Tramandaí, litoral norte do estado: um homem quase foi esquartejado ainda vivo na Vila Portelinha, no balneário de Oásis.

A vítima é um homem cuja identidade ainda não foi divulgada. Segundo relatos de moradores da região e da Brigada Militar da cidade, a vítima foi encontrada na rua sangrando e em estado muito grave. Ele foi socorrido e em seguida levado para o hospital da cidade.

De acordo com testemunhas, a vítima [VIDEO] tinha inúmeros cortes pelo corpo e também na cabeça.

Publicidade

O mais chocante de tudo é que ele teve um dos seus braços cortados ou arrancados (as circunstâncias exatas do crime ainda não foram confirmadas). Segundo informações coletadas nas redes sociais, o indivíduo precisou esperar cerca de 1 hora e meia até a chegada da SAMU.

As motivações do crime não são precisas. Mas de acordo com a Brigada Militar o crime teria acontecido após uma discussão entre a vítima e outros dois homens. Estes últimos, por sua vez, seriam os suspeitos da tentativa de #Esquartejamento e tratariam-se de pai e filho.

A #Polícia realizou diligências e até o momento em que esta matéria era escrita eles não haviam sido localizados. O homem agredido é ex-marido da atual esposa de um dos suspeitos.

Outros casos de esquartejamento no Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul parece viver uma onda de crime bárbaros e com requintes de crueldade.

Publicidade

Na última semana. pelo menos dois crimes dessa natureza foram verificados no estado.

Primeiro foi o corpo de uma mulher que foi encontrado esquartejado na cidade de Campo Bom, na Região Metropolitana de Porto Alegre [VIDEO]. Em seguida, outros dois corpos cortados em vários pedaços foram encontrados em Lomba Grande, bairro de Novo Hamburgo, cidade que também fica na região metropolitana da capital gaúcha.

A polícia ainda não sabe se os dois casos acima tem alguma relação. Ontem mais cedo, a Polícia Civil de Novo Hamburgo divulgou que os corpos seriam de duas crianças. Seriam um menino com idade entre 8 e 9 anos e uma menina entre 10 e 12 anos. A identidade das vítimas ainda não foi descoberta e a polícia aguarda a identificação por parte do IGP, que faz busca em vários bancos de dados na tentativa de esclarecer o caso.

A Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo não sabe se os crimes têm alguma relação. Nesse caso, o cadáver foi carbonizado no local em que foi encontrado. Por conta disso, apenas a perícia será capaz de identificar a vítima. O que se sabe é que se trata de uma mulher entre 20 e 25 anos de idade. #investigação