Em #Caruaru, no Agreste de Pernambuco, um bebê foi encontrado morto, neste domingo (15), dentro de uma lixeira da Unidade de Atendimento Dr. Horácio Florêncio. Segundo a Polícia Civil, a recém-nascida é uma menina.

De acordo com informações obtidas pelo G1, o parto aconteceu provavelmente no banheiro da unidade de saúde, já que o corredor havia sangue e placenta. Segundo informações da Polícia Civil, funcionários da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) foram até o banheiro e, quando viram os vestígios de placenta, saíram em busca da criança.

O bebê chegou a ser colocado em uma maca pelos funcionários de saúde para que a equipe médica verificasse os sinais vitais da menina, porém já se encontrava morta.

Publicidade
Publicidade

Testemunhas informaram aos agentes da Polícia Civil que viram uma mulher saindo do banheiro suja de sangue. Funcionários e agentes suspeitam que a mãe seja uma jovem de apenas 19 anos, que procurou a unidade neste domingo.

Segundo investigações da polícia, uma mulher que foi atendida na unidade negou que a criança seja dela. No entanto, segundo os policiais, a mulher recebeu atendimento na Unidade de Pronto Atendimento e será convocada para prestar esclarecimento esta semana na Delegacia de Polícia Civil de Caruaru.

De acordo com Instituto de Medicina Legal (IML), a criança estava com o cordão umbilical enrolado no pescoço. Porém, ainda não há informações sobre o que causou a morte do bebê. Ainda, segundo o IML, nenhum familiar apareceu no local para buscar informações.

Outra ocorrência

Na noite deste sábado (14), uma menina de 4 anos foi baleada no rosto, na cidade Ibirajuba, no Agreste de Pernambuco.

Publicidade

Segundo a Polícia Militar, a criança estava no colo do pai quando foi atingida pela bala. O pai da criança, de 42 anos, também foi ferido no rosto pelo disparo de arma de fogo.

De acordo com a Polícia Militar, o tio da garota, de 35 anos, é o suspeito de ter efetuado o disparo. O tio e pai da menina são irmãos, mas eles se desentenderam. Após a briga, o suspeito tira usado uma espingarda par atirar no irmão, que estava com a filha no colo. A Polícia Civil ainda não prendeu o suspeito. #Bebê #Casos de polícia