Moradores da Zona Oeste do Recife viveram momentos tensão na madrugada desta terça-feira (21). A Avenida Recife, que corta os bairros de Areias e Estância, foi palco de uma verdadeira operação de guerra por parte de bandidos fortemente armados. A partir das 3h20 da madrugada foram relatados tiros de metralhadora, explosões e incêndios em automóveis para obstrução da via.

Nas redes sociais circulava a informação que o alvo dos criminosos seria uma empresa de transporte de valores nas proximidades do supermercado Makro. No entanto, também comentava-se a tentativa de assalto a um posto de gasolina, também nas imediações, que conta com três caixas eletrônicos. Foram aproximadamente duas horas de angústia, medo e apreensão por parte da população local. Moradores de bairros próximo como Barro, Jardim São Paulo e IPSEP também acordaram assustados.

A ação da PM

Segundo informações do 12º Batalhão de Polícia Militar, é procedente a tentativa de assalto à empresa de segurança. Bandidos e policiais promoveram troca de tiros, mas nenhum suspeito foi capturado. Há também a informação de que um #policial foi ferido e encaminhando para um hospital na região central da cidade. Contudo, não há confirmação deste fato por parte da PM. Um helicóptero da SDS e viaturas ainda estão presentes na região promovendo buscas. Por volta das 05h30 o trânsito foi liberado.

Preocupação com o carnaval

Um incidente destas proporções, a menos de quatro dias da abertura do carnaval pernambucano, coloca em xeque as declarações do governador Paulo Câmara e do prefeito Geraldo Júlio sobre a garantia de segurança dos foliões durante as festividades de Momo. De acordo com os chefes dos executivos estadual e municipal “o carnaval deste ano será tão seguro quanto em todos os outros anos”. Por outro lado, o impasse entre governo e polícia militar continua mesmo após a aprovação do - contestado - reajuste salarial da categoria na semana passada e não há, até o momento, garantia de que todo efetivo da corporação estará nas ruas durante os dias de folia. #2017 #Violência