Há quem pense que a cidade maravilhosa vive apenas dos corpos esculpidos pelo sol e mar que desfilam livremente pelas areias das praias de biquíni ou sunga. Existe diversidade no Rio de Janeiro, sim: um grupo de modelos plus size cariocas irão mostrar sua indignação contra o preconceito.

Acontecerá neste sábado (31), às 11h, um lindo protesto contra a gordofobia, denominado como "Rolezinho Plus Size". O ato será realizado na Praça Paris, na Glória (RJ). 


Os organizadores estão solicitando que quem for participar do protesto, vá com uma peça branca ou rosa para simbolizar o movimento. Haverá distribuição de bolas rosas e brancas para simbolizar o protesto. Esse movimento é contra o preconceito e a favor do respeito ao próximo, algo que está faltando nos dias de hoje.


A idealizadora do Movimento Psiu é a Nahla Camila, de São Paulo. Este mesmo movimento acontecerá em diversos estados brasileiros de forma simultânea, todos no sábado, dia 31. No Rio, a ação mudou de nome e virou Rolezinho Plus Size, já que o Movimento Psiu já havia sido patenteado por outro grupo. 

Como começou essa história?

Quatro moças foram humilhadas pela recepcionista de um hotel, que, ironicamente, disse que duas delas não caberiam em uma cama de casal. 


Indignadas, elas resolveram protestar em frente ao Congresso posando seminuas para uma sessão de fotos. A imprensa fez alarde e o protesto tomou grandes proporções. Talvez tudo tivesse acabado por ali, se não fosse um Policial Militar não desabafasse em seu Facebook com xingamentos caluniosos às moças.

Entre suas absurdas palavras, ele chamou as jovens de "saco de toucinho", "quarteto bacon", "leitoas" e "criaturas bizarras". A publicação do PM foi apagada pouco depois, mas centenas de usuários copiaram a imagem e divulgaram mensagens de repúdio pela própria rede. Era o feitiço virando-se contra o feiticeiro. 


Não menos indignada, a advogada Vanusa Lopes, mesmo sem conhecer as moças, compartilhou o print das injúrias do PM e foi procurada pelas misses para representá-las na Justiça. Ao site G1, ela disse: "Vamos ingressar com uma ação penal por crime de injúria e difamação e, certamente, pedido de indenização para as próprias modelos", afirmou. "Qualquer mulher que se sinta gorda e que tenha se sentido ultrajada pelas agressões pode entrar na Justiça contra ele, porque ele já começa o texto dizendo que a pior obra de engenharia de Deus foi a mulher gorda." 


O movimento começou nas redes sociais, com pessoas posando para fotos na qual aparecem com o dedo em frente a boca como símbolo de silêncio, em apoio ao ato e contra a gordofobia. Uma das primeiras a postar o autorretrato fazendo o símbolo de "psiu" foi a juíza arbitral Ana Paula Damasceno, que disse que desafiou dezenas de amigos a fazerem o mesmo e milhares deles aderiram ao protesto. 

Agora o manifesto pretende sair do mundo virtual e ir direto para as ruas de todo Brasil.

Publicidade
Publicidade

As organizadores do evento, Aline Mesquita, Sanny Ferreira, Larissa Torres e Daniele Macedo, estão pedindo a presença de todos para esse movimento que será lindo! Confirme sua presença você também! #Moda