Os últimos dez dias no Rio de Janeiro têm causado espanto e medo na população, foram 12 pessoas atingidas por balas perdidas. No domingo, dia 25, uma mulher foi morta ao ser baleada na Favela da Rocinha, em São Conrado, durante troca de tiros entre traficantes e policiais. Ela chegou a ser levada para o hospital, mas não conseguiu resistir aos ferimentos.

Sandra Costa dos Santos também é uma das vítimas, na madrugada do dia 26 ela foi baleada enquanto dormia em sua residência, na Rua Amanajó, Bangu. De acordo com Taís Costa, filha de Sandra, a bala acertou a cabeça da mulher, porém ela foi socorrida e o estado dela é estável.

Durante essa mesma madrugada houve outra vítima de bala perdida no Subúrbio do Rio, precisamente no Morro do Chapadão.

Publicidade
Publicidade

Uma menina de 12 anos estava em casa quando foi baleada. A criança está internada no Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo.

No dia 24, um garoto de 15 anos foi baleado do braço enquanto passava férias em Niterói, na casa de uma tia. Ele foi atingido enquanto estava em um playground dentro do condomínio em que a tia mora. Nesse mesmo dia, uma mulher foi baleada próximo ao Morro do Juramento e outras duas pessoas foram atingidas por balas perdidas em São Gonçalo.

No dia 23, um jovem foi baleado enquanto participava da platéia do Mundial de Skate Bowl, em Madureira. Na quinta-feira, Lavínia Crisciullo, de apenas 3 anos, levou um tiro no Centro do Rio. Nesse mesmo dia, William Robaiana foi atingido, em Santa Cruz.

Durante o final de semana anterior, Larissa Carvalho foi baleada na cabeça em Bangu, enquanto saía de um restaurante acompanhada pela mãe e pelo padrasto. A menina tinha 4 anos e não resistiu aos ferimentos.

Publicidade

No dia 18, Asafe Ibrahim, 9 anos, foi morto por bala perdida na piscina do Sesi de Honório Gurgel. O menino chegou a ser levado para o hospital, mas morreu no caminho.

De acordo com José Mariano Beltrame, Secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, a cidade possui uma nação de criminosos, mesmo com a atuação forte da Polícia Militar e Civil e de todas as milhares de prisões que ocorreram nos últimos meses. #Ataque