Muito criticadas pela população devido à falta de higiene, mau cheiro e mau gosto, além de serem um péssimo cartão-postal para o Rio de Janeiro, as UFAs (Unidades de Fornecimento de Alívio) vêm sendo expandidas pela prefeitura em diversos pontos da cidade, chegando a 26 unidades masculinas e uma feminina (em teste), situada em Copacabana.

A Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos do Rio de Janeiro informou hoje que pretende manter esses mictórios públicos nas praças e ruas da cidade, durante os Jogos Olímpicos de 2016. "O projeto é um modelo para a cidade, não foi instalado visando os Jogos Olímpicos", informa a secretaria.

Publicidade
Publicidade

Antes de o programa ser expandido, um mictório masculino foi testado durante três meses na Central do Brasil, com utilização diária de aproximadamente 1.300 usuários. A unidade feminina, instalada na Praça Serzedelo Correia, em Copacabana, foi alterada após reclamações das mulheres. "A nova unidade foi desenhada para preservar a intimidade da usuária e aperfeiçoada internamente com novos apoios e base para álcool gel", informa a Assessoria de Imprensa da Secretaria.

Privacidade

Cada unidade permite que sejam vistos os pés e pernas dos usuários. Sobre a falta de higiene das unidades, a assessoria de imprensa explica que se trata de um modelo de mictório público, e não de banheiro público. "Esse mesmo modelo de mictório é utilizado em diversos países do mundo", diz a secretaria, sem especificar quais os países que teriam modelos semelhantes.

Publicidade

Sem água para lavar as mãos, nem toalhas e tampouco descargas, o modelo de mictório é ligado à rede municipal de esgoto, através de bueiros ou bocas de lobo. A ideia era que passassem por três limpezas diárias, feitas pela Companhia de Limpeza Urbana do Rio (Comlurb), o que raramente acontece. A secretaria garante, no entanto, que "equipes da Comlurb realizam serviço de limpeza diariamente nas UFAs, com um veículo dotado de máquina aspersora de água para a higienização".

No Largo do Machado, um florista diz que a UFA é uma vergonha. "Tentei utilizar uma vez de manhã, mas haviam defecado no local", reclamou. "Quando um turista me pede ajuda, eu sempre sugiro que eles se encaminhem para o banheiro do supermercado Extra, aqui perto".

A secretaria pede que a população contribua não jogando copos, garrafas ou outros objetos nos mictórios - evitando assim entupimentos, vazamentos e outros transtornos. A ideia de implantar as UFAs surgiu no ano passado, após a detenção de 808 pessoas que estavam urinando na rua durante o Carnaval de 2013. Este ano, além das UFAs instaladas, os foliões deverão contar com mais banheiros químicos instalados pela Riotur, durante o Carnaval. #Turismo