Após a chegada das UPPs na favela do Chapadão, traficantes do morro desceram para continuar o “trabalho” nos bairros próximos, dentre eles o Anchieta. Moradores reclamam que há muito tempo existe tráfico livre no local e que os criminosos pagavam propina para a polícia permitir o “negócio”.

Muitos moradores já tiveram suas residências invadidas por meliantes, que estão se escondendo da polícia ou de gangues rivais. Eles passam a noite na casa dos moradores, tomam banho, comem, recebem visitas, usam o telefone e até deixam drogas e armamento nas residências para retirar depois. Como os moradores nunca sabem quando vão se deparar com a polícia corrupta ou com a certa, preferem não denunciar e preservar suas vidas.

Publicidade
Publicidade

Desde janeiro, e segundo moradores que vivenciam o #Crime diariamente, houve um conflito entre polícia e traficantes, que resultou em marginais mortos e prisões. Como retaliação, o tráfico do Chapadão decidiu não pagar mais propina para os policiais envolvidos, o que tem resultado em constantes conflitos entre bandidos, polícia e antigos milicianos.

O problema chegou ao ponto de bandidos fecharem a maioria das ruas do bairro com entulhos encontrados em caçambas, terrenos baldios e calçadas, bem como encher garrafões de 20 litros de água com concreto para impedir a entrada de carros, viaturas e o temido "Caveirão" do BOPE.

Moradores que desejam entrar no bairro de carro ou moto precisam ligar o pisca alerta para informar que estão chegando em casa, caso contrário, os marginais alvejam os veículos com tiros.

Publicidade

Os moradores só possuem duas estreitas vias sem barreiras para acessar, sendo que muitos carros saem riscados nas tentativas. Ônibus não estão fazendo o trajeto normalmente na região. Entregas diversas também deixaram de ser realizadas.

Caso você precise ir ao local e por mais que pareça absurdo (e é!) ligue o pisca alerta para acessar ruas com barreiras ou que possuam indivíduos estranhos e/ou armados à vista. Evite levar crianças, mulheres e idosos para esses locais. Bem como, não ande com roupas de marca conhecida ou aparelhos eletrônicos caros. Os criminosos tem espancado transeuntes a fim de levar seus pertences. Todo cuidado é pouco enquanto a criminalidade mandar no estado do Rio de Janeiro.