A população de Duque de Caxias no Rio de Janeiro, cansados de tanto ouvir uma criança de 6 anos gritar, ligaram para o disque denúncia e conseguiram salvar uma criança das mãos do pai, que costumava castigar a menina diariamente. A menina é filha de Jefferson com primeira companheira.

Jefferson Antonio da Silva de 28 anos, trabalha como ferreiro, foi preso em flagrante dentro de sua casa por agredir sua atual companheira no dia 03 de setembro e foi enquadrado na Lei Maria da Penha.

Ao receber a informação do disque denúncia, a polícia começou a investigação do caso. No dia 09 de setembro quarta-feira, a polícia esteve na casa de Jefferson com o mandado de busca e apreensão, após verificar o local foi comprovado que o pai da menina a mantinha de castigo por horas em um canto da parede, também encontraram uma gaiola com 1,20 cm de altura e 60 cm de circunferência, na qual o pai sempre colocava a criança.

Publicidade
Publicidade

No dia 07 de setembro Jefferson foi solto pelo #Crime de agressão física a companheira, mas no dia seguinte já estava sendo procurado por tortura de sua filha de 6 anos.

Segundo informações da polícia, quando questionado, os enteados de Jefferson disseram que ele colocava a criança na gaiola para que ela não fugisse de casa. A perícia feita na casa, pelo departamento especializado da polícia, descobriu que se a menina tentasse sair, recebia choque elétrico, pois a gaiola ficava conectada em uma tomada.

De acordo com um irmão da menina que mora próximo a casa de Jefferson, ele já tinha perguntado para sua mãe, que é madrasta da menina por que ela permitia aquilo dentro de sua casa e disse o seguinte: "Mãe, a senhora não tem coração! Ver um negócio desse dentro da casa da senhora". Como resposta a mãe disse "Sem filha eu fico, eu só não fico sem homem".

Publicidade

O delegado Marcos Santana afirmou que não sabia da tortura com a menor no momento da soltura de Jefferson, mas no mesmo dia já fez um novo pedido de prisão preventiva baseado no fato das agressões e tortura da criança. A polícia segue na captura do mesmo. A criança está sob a guarda da avó paterna até o momento. #Família #Casos de polícia