Nesta quarta-feira, dia 30 de outubro, mais um policial foi morto pela violência do Rio de Janeiro. Caio César Ignácio Cardoso de Melo, que completou 27 anos dois dias antes de ser morto, e trabalhava na UPP da Fazendinha, no Complexo do Alemão, foi surpreendido por bandidos enquanto patrulhava a região e levou 3 tiros, um deles no pescoço.

Ele chegou a ser levado para o hospital Getúlio Vargas, na Penha, para passar por cirurgia, porém, não sobreviveu.

A morte desse policial poderia ter sido apenas mais uma a entrar para as estatísticas de #Violência da cidade, mais um lamentável fato que seria noticiado rapidamente na televisão, ou, nem mesmo isso ele teria, se não fosse pela outra profissão que o soldado tinha já há muito tempo.

Publicidade
Publicidade

Desde pequeno, Caio César trabalhava como dublador, e o maior sucesso e maior reconhecimento vieram com a dublagem de Daniel Radcliffe, intérprete do bruxo Harry Potter.

Além dos dez anos dublando Harry Potter, de 2001 até 2011, Caio César também dublou o personagem Diego Bustamante, da telenovela mexicana Rebelde, interpretado por Christopher Uckermann, ator esse que deixou uma mensagem em sua conta do twitter em homenagem ao dublador e o agradeceu por ser a sua voz no Brasil. Outros personagens conhecidos que Caio César dublou incluem Sokka, de Avatar: A Lenda de Aang, Jimmy, de Du, Dudu, e Edu e T.K em Digimon.

Os estúdios Warner Bros, que levaram todos os filmes do bruxo aos cinemas, em sua página do Facebook, escreveu uma nota lamentando a morte da dublador. Páginas no Facebook, canais no Youtube, e contas no Twitter dedicadas à dublagem e a Harry Potter prestaram homenagens, e também J.K Rowling, autora dos livros, que mostrou sua solidariedade ao saber da morte do homem que dava voz ao seu protagonista no Brasil.

Publicidade

Os fãs de Harry Potter, conhecidos no mundo inteiro como “Potterheads”, ao saberem da notícia, encheram as redes sociais de mensagens de amor e carinho ao rapaz e de condolências à família, e, reproduzindo um gesto usado nos filmes, “levantaram suas varinhas” em homenagem a uma voz que foi calada tão cedo.   #Blasting News Brasil #Casos de polícia