“Como sou contra a redução da maior idade penal, vou seguir o conselho da Rachel Sheherazade, vou adotar meu bandido”. Assim afirma Deivid Domênico, um carteiro do Rio de Janeiro que se viu vítima de um assalto e, depois de alcançar o assaltante e denunciá-lo, resolveu ajudá-lo a mudar de vida.

Na última sexta-feira, 6, Deivid estava no ônibus no centro da capital fluminese quando um jovem de 16 anos tomou seu celular e o desafiou: “vem, vem atrás”. E ele foi. Conhecedor das ruas “melhor do que a própria casa”, o carteiro conseguiu alcançar o jovem na rua Uruguaiana. “Geral viu e saiu pegando ele de porrada. Tentei não deixarem baterem nele, mas não teve jeito.

Publicidade
Publicidade

Mas não deixei arrebentarem, consegui junto com os seguranças impedir que a ele apanhasse mais”, contou numa postagem no Facebook que viralizou em poucas horas.

Conversando com o jovem, Deivid descobriu que ele é órfão e mora nas proximidades da Mangueira, na Zona Norte da cidade. Depois de leva-lo até a delegacia, propôs que o jovem o procurasse assim que cumprisse a medida cautelar para ajudá-lo a conseguir trabalho na escola de samba, onde é integrante. “Segundo ele, toca um instrumento. Vou pedir ao presidente e aos diretores de bateria pra ver se ele tem talento e arrumar algo pra ele fazer na quadra”.

“Graças a Deus, os bons são maioria”

O gesto do carteiro repercutiu na rede e comoveu muitas pessoas que, inclusive, se prontificaram a ajudar. "Com a repercussão, eu percebi que [os críticos da redução da maioridade penal] somos maioria.

Publicidade

Os outros só falam mais alto", disse Domênico à BBC Brasil.

O jovem infrator, segundo Domênico, foi encaminhado ao Instituo Padre Severino, na Ilha do Governador. Sabendo que o jovem pode não procurá-lo, Domênico já contou nas redes sociais que está buscando junto à justiça a oportunidade de visitá-lo para iniciar uma luta de recuperação. “Não acho que ele vá me procurar; não vou esperar sentado no calor humano do meu lar familiar ou ao som da bateria da mangueira. Eu vou procurá-lo, eu vou atrás”, declarou para as milhares de pessoas que acompanham o episódio pelas redes sociais.

A Blasting News tentou contato com Domênico para conversar sobre o assunto, porém não obteve resposta até o fechamento desta matéria. Para a BBC Brasil ele relatou que já agendou uma visita para esta quinta-feira, 12, e vai acompanhado de um advogado e de um assistente social que conheceu pelo Facebook e se mostrou disposto a ajudá-lo nesta empreitada.

  #Curiosidades #Crime #Casos de polícia