O ano novo chegou, mas para o cidadão carioca que depende do sistema público de saúde não há nada de novo para comemorar. Tudo isso porque o Estado não tem investido na saúde e milhares de pessoas não conseguem atendimento nos hospitais do estado.

Revoltados com a situação, funcionários de hospitais protestaram em frente a secretaria de saúde da cidade do Rio de Janeiro. Além disso, há diversas suspeitas de que houve fraudes fiscais envolvendo o dinheiro destinado a manutenção da saúde do Rio, como pagamentos de funcionários e compra de medicamentos.

O relatório do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro apontou várias irregularidades nos contratos de gestão das unidades de saúde pública do estado, sendo dezessete de trinta e três, irregulares.

Publicidade
Publicidade

Tais documentos mostram superfaturamento na compra de medicamentos, que vai de oxigênio à antibióticos. Além disso, foi identificado sobrepreço em diversos serviços de limpeza, alimentação e segurança, resultando em um prejuízo de quase R$80 milhões.

Os valores superfaturados também foram usados para fins particulares, como viagens de avião e alimentação fora das unidades de saúde pública. Para conter ou tentar amenizar o caos da saúde do Rio, alguns hospitais serão municipalizados, entretanto, a empresa que vai administrá-los já responde um processo por má administração de um outro hospital. Mesmo assim, o setor público renovou contrato com a mesma empresa.

Tantas irregularidades em conjunto com a falta de pagamento de médicos e da compra de medicamentos essenciais para os usuários das unidades públicas de saúde, obrigaram o Sindicato dos Médicos à abrirem um processo contra o governador do Rio, Pezão, devido o mesmo ter infringido a lei de responsabilidade fiscal.

Publicidade

Tal processo, pode afastá-lo do cargo de governador do estado do Rio de Janeiro.

Milhares de moradores do Rio de Janeiro têm passado horas em busca de atendimento em uma unidade de saúde, inclusive pessoas com membros quebrados e que estão em estado grave. São horas de espera por um atendimento que nem sempre preenche as necessidades do paciente vítima de uma má gestão pública do #Governo do estado do Rio de Janeiro. #Impeachment #sistema de saúde