O que se espera de legado de uma Copa do Mundo são sempre coisas positivas. Arenas atraentes, #Jogos para a história, gols bonitos e momentos inesquecíveis na celebração mundial do esporte mais popular do planeta. Se o Brasil conseguiu ter isso após 2014, uma outra herança nada positiva também acompanhou. O #Zika Vírus, transmitido pelo Aedes aegipti, pode ter chegado em meio aos milhares de turistas que estiveram no país.

Os primeiros casos do vírus no Brasil foram observados justamente após 2014. Atualmente, os últimos números divulgados apontam que mais de 3,5 mil casos foram registrados. Ao todo, 20 dos 27 Estados do país tiveram incidência.

Publicidade
Publicidade

O ex-ministro da Saúde, Arthur Chioro, já havia adiantado que a doença poderia vir ao Brasil, mas ao mesmo tempo salientou que ela teria menos efeito que a dengue.

Após Chioro sair do cargo (o atual ministro da Saúde é Marcelo Castro, do PMDB), o governo foi obrigado a decretar emergência em saúde pública dada a gravidade do avanço do zika. Muitos casos de bebês nascendo com microcefalia foram observados e ligaram o alerta às autoridades.

Para que o panorama não volte a ocorrer em 2016, ano em que o Brasil volta a receber um evento de porte mundial, as autoridades já se mobilizam para conter o avanço do zika. A prefeitura do Rio de Janeiro e a organização dos Jogos Olímpicos, que se iniciam dia 5 de agosto na capital carioca, mobilizaram uma equipe que tem feito vistorias frequentes nas instalações esportivas.

Publicidade

Mais próximo do evento, será feita uma grande operação nas arenas para saber se é necessário a colocação de inseticida via caminhonetes.  #Rio2016