Uma marca que a cidade olímpica certamente não queria ter: a cada 3,5 horas ocorre ao menos um registro de vandalismo nas estações de BRT do município.

Até o dia 17 de fevereiro de 2016, data do último balanço realizado, foram contabilizados apenas este ano 353 registros de destruição em dezenas de estações do consórcio.

Há algum tempo foram exibidas reportagens nas quais algumas pessoas forçavam a abertura das portas da estação pelo lado de fora, a intenção era de adentrar as plataformas sem pagar as passagens. Hoje, em muitas das estações não há mais essa necessidade, de tanto serem forçadas boa parte das portas não fecham mais o que acaba por representar risco especialmente no momento do embarque e desembarque.

Publicidade
Publicidade

A estação de Vaz Lobo foi recentemente atacada por vândalos usando roupas de 'bate-bola' durante o carnaval. Somente para reparar os danos foi estimado o valor de R$ 1,2 milhão, dinheiro suficiente para adquirir um dos ônibus articulados usados pelo consórcio.

É importante informar à população que há previsibilidade de inclusão destes reparos no valor da tarifa do transporte público. Embora em um primeiro momento essa verba saia dos cofres das empresas que participam do consórcio, esses valores de manutenção e reparo das estações são incluídos para fins de cálculo dos reajustes tarifários.

Segundo informações veiculadas no jornal 'O Dia', das onze estações que fazem parte do conjunto chamado 'Transcarioca', apenas uma (Capitão Menezes) não estava com as portas abertas o tempo inteiro. Em seu funcionamento normal, as portas das plataformas abrem e fecham apenas nos momentos de embarque e desembarque.

Publicidade

A abertura forçada das portas não é uma forma isolada de vandalismo. Há também os ataques efetuados por marginais, que envolvem desde a depredação como os incêndios. A estação de Vila Paciência, localizada zona oeste da capital fluminense, sofreu provavelmente o pior dos atos de vandalismo contra as estações.

Praticamente tudo foi perdido. Portas, roletas, cabine, entre outras coisas. A estação foi atacada a mais de dois anos e ficou fechada por outros dois. Trazendo prejuízo para os moradores que tiveram que se deslocar até outras estações para acessar o serviço. Após os reparos a estação teve seus equipamentos recém instalados roubados e ainda se encontra inoperante. #Ataque #Crime