Todos os dias é noticiada, em manchetes de jornais por todo o país, a situação caótica dos hospitais públicos brasileiros. Alguns políticos, porém, parecem desconhecer a situação vivida por por milhões de brasileiros, que, muitas das vezes, morrem em filas e corredores de #Hospital por péssimo atendimento ou falta dele. Isso sem falar na falta de remédios e insumos básicos para que médicos e enfermeiros trabalhem. Porém, "parece que o jogo virou" para um desses governantes.

Eduardo Paes, prefeito da cidade do Rio de Janeiro, precisou ir ao Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, após seu filho, Bernardo, se acidentar durante uma partida de hóquei.

Publicidade
Publicidade

O menino tem apenas 11 anos e já passa bem. "Dudu", como é chamado carinhosamente pelos eleitores e moradores da cidade carioca, não está nada contente. Isso porque o prefeito se irritou finalmente com a situação do atendimento fornecido pelo centro médico.

Situação constrangedora

Quando o prefeito chegou no local do acidente e viu o filho ferido, sentenciou: emergência é coisa de hospital público. Porém, ao chegar o Lourenço Jorge, notou que a situação não estava sob controle, como é anunciado em suas campanhas pela televisão, rádio e internet, constantemente.

Segundo uma reportagem publicada pelo jornal carioca Extra, o prefeito se estressou com a médica, que não teve o nome divulgado pela imprensa, e concluiu: atendimento médico na cidade do Rio de Janeiro, para a maioria, é precário.

Logo após, Paes se deslocou do consultório e foi até a triagem do hospital fazer sala para os pacientes.

Publicidade

Ele escutou de alguns que aquele lugar ainda estava bom e bem vazio em comparação a outros hospitais da cidade. Inclusive, os funcionários agilizaram o processo de atendimento aos pacientes com a chegada de uma autoridade do porte do prefeito. Segundo as pessoas que esperavam na fila para o atendimento, a  situação normal é ainda pior do que a que encontrou neste dia.

Chocado com a situação, Eduardo Paes convocou para o mesmo dia uma reunião para dar uma bronca no secretário de Saúde da cidade, Daniel Soranz. Ele adiantou para os doentes que vai implantar medidas para que o atendimento seja mais veloz. Alguns pacientes ouviram, mas não comemoraram: "já não era hora, senhor prefeito".

A reportagem não informa se o filho de Eduardo Paes "furou fila" ou não. #Governo #sistema de saúde