Está em cartaz, até 30 de abril, de terça a sexta, das 11h às 19h e sábado das 11h às 18h, na Sergio Gonçalves Galeria, a exposição individual "Rio de Janeiro - Paisagens Improváveis”, do artista visual Eduardo Ventura. A mostra tem entrada franca e pode ser visitada na Rua do Rosário, 38, Centro Histórico. De acordo com o artista, o objetivo da exposição é apresentar locais poucos conhecidos do Rio de Janeiro. Entre as telas estão “Rua Ipojuca, Penha”, “Rua do Jogo da Bola, Saúde”, “Ladeira do Barroso, Gamboa”, “Rua Waldemar Dutra, Santo Cristo”, “Rua Bela, São Cristóvão”, “Av. Brasil, Manguinhos”, “Linha Vermelha, São Cristóvão” e “Travessa Silva Baião, Santo Cristo”.

Publicidade
Publicidade

Recentemente, em abril, Eduardo Ventura participou da maior feira de #Arte da América Latina, a SP Arte, no stand da mesma galeria. Na ocasião, ele criou um diálogo com a exposição do Rio, apresentando desenhos e uma tela com as "Paisagens Prováveis" de São Paulo.

"Quando se fala em Rio de Janeiro, é comum pensar em Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Praia de Copacabana. Procurei justamente os lugares improváveis da cidade. Já na mostra de São Paulo eu pintei as paisagens prováveis de se encontrar na cidade", diferencia o artista, que utilizou ferramentas como o Google Maps para investigar as ruas e os bairros de acesso mais desconhecido da cidade do Rio de Janeiro e os principais da cidade de São Paulo, selecionando diversos ângulos, luminosidades e atmosferas.

A crítica de arte Renata Gesomino debruçou sobre as obras do artista para compor o texto da exposição.

Publicidade

De acordo com ela, o artista contrói um inventário pictórico de “Paisagens Improváveis”, onde o Rio se apresenta vazio, com a possibilidade de preenchimento poético/narrativo.

"As imagens sugerem uma imobilidade meditativa. Há um delicado sentido de solidão que invade a artificialidade esquálida dos conjuntos arquitetônicos. Os verdadeiros protagonistas são as ruas, as ladeiras, as avenidas, os elevados, os viadutos, as travessas e as travessias com suas almas acinzentadas", reflete Renata.

Mais informações sobre a exposição: (21) 2263-7353 #Rio Cultura