A prefeitura do Rio de Janeiro acaba de lançar o edital que apresenta um projeto pioneiro para o país e se engaja em sua campanha por projetos de #Sustentabilidade. A capital do estado fluminense que possui a maior rede de ciclovias do país, agora quer incentivar o compartilhamento de veículos elétricos.

A prefeitura prevê que as tarifas de aluguel desses veículos custem a partir de R$ 18, valor que irá variar em função da modalidade de contratação que o usuário do sistema queira contratar. As opções deverão variar entre contratos diários, semanais, mensais e até anuais.

A licitação prevê que os veículos possam ser alugados em 25 estações que estarão situadas entre a zonal sul ao centro da cidade. Toda a gerência e administração será entregue à iniciativa privada.

A expectativa da prefeitura é tanta que o prefeito espera ter o sistema em funcionamento já durante as Olimpíadas que serão disputadas na cidade em Agosto.

Publicidade
Publicidade

A previsão é a de que os veículos elétricos possam ser alugados via aplicativo de celular, bastaria o usuário se cadastrar e confirmar o pagamento, dirigir-se a uma das 25 estações disponíveis e pegar o veículo.

Frota de veículos elétricos será monitorada

O modelo dos veículos a serem adotados pela capital fluminense deverá ser semelhante aos que circulam nas cidades de Paris (França) e Amsterdã (Holanda). A frota da capital francesa já somam três mil veículos.

Um dos elementos constantes nos requisitos da licitação é o monitoramento que deverá ser realizado pelas empresas sobre a frota elétrica, segundo a prefeitura a ideia é minimizar os riscos de furtos e roubos dos veículos.

Redução do trânsito

Eduardo Paes, prefeito do município, afirmou que além dos veículos serem sustentáveis por não emitirem poluentes, os mesmos também ajudarão a descongestionar o trânsito nas vias da cidade.

Publicidade

Segundo estudos realizados pela capital francesa, os veículos elétricos que são bem menores que os comuns.

Segundo a Associação Brasileira de Veículos Elétricos, existem hoje em todo o país apenas 95 modelos que funcionam unicamente à base de energia elétrica.