Em meio à crise política que corrói o Brasil, não era de se imaginar que os Jogos Olímpicos fossem ficar de fora dessa confusão. Com o afastamento oficial da presidente Dilma Rousseff na última quinta-feira (12), e a posse imediata do presidente interino Michel Temer, um novo grupo de ministros tomou posse em evento realizado no período da tarde. Entre os novos ministros está o correligionário de partido de Temer, PMDB, o deputado federal Leonardo Picciani, que irá ocupar a pasta dos Esportes.

A trajetória de Picciani não tem absolutamente nenhuma ligação com esportes. O jovem deputado de apenas 36 anos, mas muito experiente na Câmara dos Deputados, onde está desde 2002, quando foi eleito com 22 anos, era até então líder da bancada do PMDB naquela Casa Legislativa.

Publicidade
Publicidade

O curioso é que Picciani votou contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, apesar dos interesses de seu partido com a queda da petista

Filho de um político famoso e muito influente, Jorge Picciani, atual deputado estadual no Rio de Janeiro pelo PMDB, e presidente da Assembleia Legislativa, Picciani ganhou como prêmio por seu trabalho como líder da bancada do PMDB um ministério.

3 ministro

Em um momento tão complexo para o esporte no Brasil, Picciani é o terceiro ministro que ocupa a pasta só em 2016.   O primeiro a ocupar o posto foi George Hilton, que assumiu em janeiro de 2015, junto com o segundo mandato da presidente Dilma. Ele pediu exoneração do cargo no dia 30 de março. Em seu lugar, entrou Ricardo Leyser, que ficou apenas 42 dias, até sair da pasta para a entrada de Picianni.

Publicidade

O novo ministro fez seu primeiro pronunciamento logo após tomar posse e disse acreditar que os Jogos Olímpicos serão um sucesso.

Com um discurso vago, daqueles de quem acabou de cair de paraquedas e não sabe para onde ir, Picciani disse que as obras estão dentro do cronograma e “os atletas se preparando da melhor forma”. Para completar sua fala, ele declarou que “é importante que a gente deseje aos atletas brasileiros sucesso nos Jogos”. A menos de 3 meses das Olimpíadas, e com uma crise de saúde e violência cercando o evento, as primeiras palavras do ministro dos Esportes são pedindo torcida aos atletas. #Rio2016