O bebê de um ano que morreu vítima de bala perdida, na noite de segunda, foi enterrado nesta terça-feira (17) no Cemitério Parque da Paz, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro. A criança tinha 1 ano e 2 meses de vida e estava com os pais quando foi baleada. O tiro atingiu a cabeça de Juan Rodrigues Morales Benites. O corpo do Bebê foi enterrado por volta de 17:00 horas. 

A mãe da criança que ainda se encontrava em estado de choque, confirmou a polícia que no momento da tragédia, não acontecia nenhuma troca de tiros. Os pais voltavam de uma festa com o filho no banco de trás do carro e estavam a caminho de um outro evento onde estava a filha do casal de 14 anos.

Publicidade
Publicidade

Ao passarem pelo bairro do Mutuá, região central da cidade do Rio, o pai que estava na direção do carro, achou melhor frear ao suspeitar de um outro automóvel que vinha logo atrás, foi quando um dos passageiros do veículo atirou contra o carro que estava a família. Ao ver que a criança chorava, a mãe descobriu que ele havia sido atingido na cabeça.

Juan que era o filho caçula, foi atendido no #Hospital e Clínica São Gonçalo, mas infelizmente não resistiu. O tiro que atingiu o bebê entrou pelo porta malas, atravessou o banco traseiro e parou no painel da frente do carro.

De acordo com a polícia, um carro suspeito de ter participação no #Crime já foi identificado. Câmeras de segurança próximas ao local que possam ter registrado o momento, serão analisadas e o carro identificado está sendo procurado.

Publicidade

A polícia acredita que devido ao carro da família ter película escura no vidro, os bandidos podem ter suspeitado que o automóvel pertencia a PM e seria um carro descaracterizado.

No mês de março, após a morte do menino Ryan de quatro anos, a ONG Rio de Paz fez um manifesto em homenagem ás vítimas da violência no Rio de Janeiro. Ryan foi morto enquanto brincava próximo a sua casa, depois de ser atingido por uma bala perdida. O manifesto teve como objetivo a diminuição dos números de vítimas da violência. Segundo o presidente da ONG Antonio Carlos Costa para cada 100.000 habitantes ocorrem 25 homicídios no Estado.  #Rio2016