Ela está chegando! Desde a década de 90, o Rio de Janeiro, especialmente por conta dos governantes, vem se candidatando para sediar o maior e mais tradicional evento esportivo de todos os tempos, as Olimpíadas. Agora faltam menos de 100 dias para esse antigo sonho virar realidade.

Com a promessa de deixar as obras como legado, os políticos, em especial aqueles que governaram o Estado, sempre tentaram cativar a população na intenção de conquistar o apoio popular para a realização do evento.

Certamente, esse 'legado' é a maior expectativa da população fluminense. Assim que conquistaram o direito de sediar as Olimpíadas, diversas promessas e condições foram apresentadas ao povo da cidade olímpica.

Publicidade
Publicidade

Os maiores desafios dizem respeito à melhoria do transporte público, à velha promessa de despoluir a baía de Guanabara e a melhoria da infraestrutura da cidade, de forma geral.

O município do Rio de Janeiro virou um gigantesco canteiro de obras, por onde quer que se vá é possível observar as mudanças que ocorreram ao longo desses anos de preparação. Porém, importantes projetos não saíram do papel e acabaram por desiludir alguns cariocas.

Justamente a obra que tinha o status de ser a maior conquista das Olimpíadas, a despoluição da baía de Guanabara, mais uma vez foi deixada de lado e o próprio prefeito se manifestou, no começo do ano, afirmando que não seria possível concretizar essa missão.

Entretanto, algumas grandes obras como o corredor que ligará a zona Oeste à Avenida Brasil, que é a principal via de tráfego do município, e a linha 4 do metrô já estão quase prontos.

Publicidade

Outra grande conquista, essa já concluída, foi o BRT transoeste que já se encontra em pleno funcionamento, há pelo menos três anos.

Recentemente, o prefeito Eduardo Paes anunciou um projeto de compartilhamento de veículos elétricos que deverá custar em torno de R$ 18,00, dependendo do pacote que o cliente contratar. A previsão do prefeito é a de que os veículos estejam disponíveis para aluguel antes das Olimpíadas. #Rio2016