Após a animação exagerada que criticava a poluição das águas da Baía de Guanabara, os Estúdios Tomo News voltaram a atacar com críticas pesadas envolvendo a cidade do Rio de Janeiro como cidade sede dos Jogos Olímpicos Rio-2016. O zika vírus, a #Violência e a queda da ciclovia na cidade carioca foram os pontos principais de críticas dos asiáticos da Tomo News em cima das Olimpíadas no Rio de Janeiro. Sob o título de “Brasil deveria cancelar os jogos pois ninguém quer morrer assistindo”, a animação expôs conjunturas hiperbólicas de como estaria a situação de segurança pública, sanitária e administrativa da cidade, mais uma vez.

A animação começa com uma galinha correndo entre as vielas da favela com a tocha olímpica (o que aparenta analogia a uma cena famosa do filme Cidade de Deus) com um grupo de bandidos correndo atrás da mesma.

Publicidade
Publicidade

Após a galinha levar a tocha até o Estádio, um grupo de mulheres carnavalescas começa a sambar (apesar dos problemas, como crítica ao comportamento do povo brasileiro). Num corte de cena, durante a cerimônia de entrega de medalhas, um grupo de crianças, portando armas de fogo, assalta o trio olímpico vencedor, rendendo-os e levando as medalhas de ouro, prata e bronze. A cena termina com o assassinato dos três competidores.

Em seguida, uma pequena cena compõe uma crítica ao turismo no país, sendo representado como um risco de morte aos visitantes, expondo um cartaz com os dizeres “Filha vai visitar a mãe e é morta”. Entretanto, a principal “atração” da animação deve-se a reprodução da queda ciclovia Tim Maia (construção que caiu após três meses e causou a morte de duas pessoas). Ao fim da cena da ciclovia, dois ciclistas aparecem pedalando em direção a Estátua do Cristo Redentor, ambos desaparecendo e, ao fim, os prantos do Cristo com a morte de ambos.

Publicidade

Assista ao vídeo:



 

Por fim, o zika vírus é trabalhado como um pandemônio exagerado. Onde a cena apresenta um casal e um mosquito aedes aegypti gigante pousando nas costas da moça. O vídeo é composto de uma narração irônica e debochando da situação, apresentando falta de qualquer conhecimento dos Estúdios Tomo News acerca da situação da capital do Rio de Janeiro.

Igualmente ao primeiro vídeo, os Estúdios Tomo News acabaram caindo no conceito desconhecido do país pelo estrangeiro. Como se assaltos ou assassinatos fossem constantes, a praia fosse extremamente poluída e a vida de turistas estivesse sob riscos. Com 85 mil profissionais da segurança, a ciclovia sendo reaberta até o início dos Jogos e a incidência do mosquito aedes aegypti (transmissor do vírus zika) sendo menor no inverno, a garantia é de que os Jogos ocorram da melhor maneira possível, segundo a expectativa do Comitê organizador.   #Crise #Rio2016